Publicidade
Manaus
Convenções sábado

Neste sábado, partidos definem nomes de candidados a prefeito e a vereadores

Chegou a hora fatal da definição de quem vai disputar a Prefeitura de Manaus e vagas para a Câmara de Vereadores 30/06/2012 às 08:57
Show 1
No Planeta Talismã, o prefeito Amazonino reúne o PDT e as siglas aliadas
Lúcio Pinheiro Manaus

Menos de 300 metros separam, hoje, a convenção do PDT do prefeito Amazonino Mendes, da festa comandada pelo grupo de Omar Aziz (PSD) e Eduardo Braga (PMDB) para confirmar a candidatura da deputada federal Rebecca Garcia (PP).

Com capacidade para abrigar até 7 mil pessoas, o local escolhido para o prefeito dizer mesmo se vai ficar de fora da disputa deste ano é a casa de show “Planeta Talismã”, na avenida Max Teixeira, Cidade Nova, na Zona Norte de Manaus.

Além de ser na mesma avenida, o palco que abrigará Amazonino Mendes pertence ao mesmo grupo empresarial que alugou a casa de show “Charriot” para Omar, Braga e Rebecca realizarem a convenção dos partidos deles.

No mesmo horário e colado um no outro, os dois eventos revelarão decisões que até ontem estavam no campo da incerteza: Rebecca como a cabeça da chapa apoiada pelo governador do Estado; e a saída de Amazonino Mendes da briga pela Prefeitura de Manaus.

Por volta das 16h de sexta-feira (29), a estrutura de som da convenção do PP, PSD e PMDB era montada na “Charriot”. E um carregamento com 6 mil garrafas de água era desembarcado no local. Segundo funcionários da casa, o espaço comporta até 6 mil pessoas. Por causa do evento de hoje, a tradicional festa de sexta-feira foi cancelada .

 No “Planeta Talismã”, a montagem dos equipamentos de som era uma das principais preocupações. Mas a decoração também já estava adiantada.

Alheio ao significado de uma convenção, o caseiro da casa de show, Adilanilton Nascimento, 30, acompanhava o entra e sai no “Planeta Talismã” ao lado dos três filhos. Disse sempre ter votado em Amazonino. Mas, assim como a candidatura do prefeito, o destino do voto de Adilanilton ainda é uma interrogação este ano. “Não sei. A gente vai ficando desgostoso, né?”, disse ele ontem a ser questionado sobre o candidato a prefeito.

 O voto do caseiro da “Charriot”, Carlos Medeiros, também deve passar bem longe da figura política que hoje realiza convenção no espaço de trabalho dele. “Não tenho nada contra a deputada Rebecca. Mas vou votar no Serafim (ex-prefeito de Manaus-PSB)”, afirmou.

 O secretário-geral do PMDB, Miguel Capobiango, não soube informar quanto será gasto na convenção de Rebecca. “Cada partido paga uma coisa”, disse Capobiango. Segundo ele, nas eleições de 2010, o partido fez sua convenção no mesmo local. Naquele ano, o aluguel do espaço foi R$ 3 mil. “Geralmente, são valores baixos”, disse. O secretário-geral do PDT, Dermilson Chagas, também fez segredo quanto aos valores gastos na convenção de hoje. Segundo ele, a legenda escolheu fazer sua convenção no “Planeta Talismã”, por causa da facilidade de acesso. “É uma área fácil para ônibus, e é amplo”, disse Dermilson. A mesma razão foi apresentada por Capobiango para o grupo ter escolhido a “Charriot”.

Vinte e cinco dias para fechar listas

A convenção partidária é uma reunião interna onde os partidos, isolados ou juntos escolhem seus candidatos e eventuais coligações. Pelo calendário eleitoral, desde o dia 5 de junho as legendas estavam liberadas para realização de convenções.

 A convenção partidária se sujeita às regras constantes dos estatutos dos partidos políticos, e deve ser realizada até o dia 30 de junho do ano das eleições.

 Desde o dia 26 de maio até o dia 5 de junho, a Justiça Eleitoral permitia aos postulantes a candidatura a cargos eletivos realizar propaganda intrapartidária com vista à indicação de seus nomes.

Em Manaus, nenhuma legenda realizou campanha intrapartidária. E em um cenário de indefinição, a maioria das siglas empurrará suas decisões para o último dia. Muitos até para a última hora.

O cenário em Manaus está tão indefinido, que siglas como o DEM e PPS realizaram convenção, lançaram candidatura a prefeito, mas deixam a vaga para candidato a vice em aberto. No meio do caminho, o cabeça de chapa do PPS virou vice da chapa do PSDB.

Partidos em convenção

Doze partidos deixaram para hoje, o último dia permitido pela Justiça Eleitoral, para realizar convenção, etapa em que definirão os nomes dos seus candidatos e coligações. Deixaram para a última hora PSDB, PP, PMDB, PSD, PDT, PHS, PRTB, PRP, PPL, PTC, PT e PCB.

Da base de apoio do prefeito Amazonino Mendes, farão convenção no mesmo local do PDT, PHS, PRTB, PRP, PPL e PTC. PP, PMDB e PSD também optaram por realizar um único evento. PSDB, PT e PCB realizam eventos separados, pois tendem a não coligar com outras legendas para a disputa majoritária.

O DEM, do deputado federal Pauderney Avelino, e o PPS, do vereador Hissa Abrahão, foram as primeiras legendas a realizar convenções, no dia 16 deste mês. Tanto Avelino quanto Hissa se lançaram candidato. Mas o vereador decidiu, anteontem, compor com a Artur Neto (PSDB).

No dia 20 deste mês, o PMN, em convenção, lançou a candidatura de Jerônimo Maranhão. No dia 23, em convenção, foi a vez dos PSB confirmar Serafim Corrêa como candidato. No mesmo dia, Herbert Amazonas, do PSTU, confirmou o nome na disputa.