Publicidade
Manaus
Manaus

Nomeação do quinteto fantástico vira 'jogo do empurra' entre órgãos do Amazonas

Nem a Procuradoria Geral do Estado nem a Casa Civil e nem mesmo o Cetam, que organizou o concurso público, conseguem explicar em que a nomeação dos cinco candidatos foi baseada 09/05/2012 às 12:54
Show 1
Presidente do Cetam, Joésia Pacheco
Monica Prestes ---

A nomeação do ‘quinteto fantástico’ para o cargo de delegados da Polícia Civil do Amazonas se transformou em um jogo do ‘empurra’ entre os órgãos públicos envolvidos no processo.

Procurados pela reportagem da TV e do jornal A CRÍTICA há mais de duas semanas, Procuradoria Geral do Estado (PGE), Casa Civil e o Centro de Educação Tecnologica do Amazonas (Cetam), responsável pela organização do concurso, ainda não conseguiram apresentar documentos que justifiquem a nomeação de Indra Celani, Laura Câmara, Herbert Lopes, Caio César Nunes e Thomaz Vasconcellos.

Na portaria que altera a homologação dos aprovados no concurso, assinada pelo delegado-geral Mário César Nunes em 3 de janeiro de 2011, ele afirma que, por força “das citadas decisões judiciais” alterava a primeira lista e incluía o quinteto entre os candidatos a serem nomeados pelo governador Omar Aziz.

Mas nenhuma decisão judicial com esse teor foi apresentada pelo Estado, para justificar tal ato. Na última sexta-feira, o governador Omar Aziz declarou que a nomeação do quinteto foi baseada em um parecer favorável emitido pela PGE. Mas o parecer enviado para a reportagem pelo próprio procurador-geral do Estado, Clóvis Smith, defende o contrário: que os candidatos não tinham direito à nomeação.

Em reportagens veiculadas na última terça, A CRITICA revelou que a PGE emitiu outros pareceres contrários à nomeação do quinteto, mas todos foram ignorados pela Polícia Civil ao indicar a nomeação dos cinco ao governador. Em entrevista, Smith alegou que o Cetam é quem deveria explicar o motivo de as recomendações da PGE não terem sido atendidas.

A presidente do Cetam, Joésia Pacheco, também foi procurada pela reportagem, mas sem sucesso. De acordo com a assessoria do órgão, ela está em viagem por municípios do interior do Amazonas. As chamadas feitas ao celular de Joésia não foram atendidas.