Publicidade
Manaus
Cotidiano, Praia da Ponta Negra, Interdição, MPE-AM, TAC, CPRM

Novo laudo do CPRM será utilizado para a liberação da praia da Ponta Negra

Reunião que deveria ter ocorrido nesta segunda-feira (18), foi transferida, para o próximo dia 27, uma semana após os estudos do CPRM serem entregues ao MPE-AM e à Prefeitura de Manaus 22/02/2013 às 15:26
Show 1
De acordo com a procuradora de Justiça Jussara Pordeus, questões técnicas devem ser analisadas para a elabopração do TAC
Síntia Maciel Manaus

A elaboração de um novo laudo pelo Serviço Geológico do Brasil (CPRM) sobre as condições do leito do rio Negro, na área interditada do balneário da Ponta Negra, na Zona Oeste de Manaus, irá orientar a Comissão Especial que trata da elaboração da minuta do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), sobre as medidas de segurança e normas para a liberação do lugar.

A reunião que deveria ter ocorrido nesta segunda-feira (18), foi transferida, para o próximo dia 27, uma semana após os estudos do CPRM serem entregues ao Ministério Público do Estado (MPE-AM) e à Prefeitura de Manaus.

 “As discussões sobre a elaboração do TAC estão bem avançadas, mas há questões técnicas, como por exemplo, o estabelecimento de uma cota de segurança para os banhistas, se ela será de 17 metros, como será estipulada, se será avaliada semanalmente ou mensalmente, uma vez que com a movimentação do rio, pode ter ocorrido a movimentação do aterro”, salienta a procuradora de Justiça Jussara Pordeus, integrante da Comissão.

Ainda de acordo com ela, como se trata de uma questão de segurança dos populares que freqüentam o principal balneário urbano de Manaus, não deve haver pressa para a liberação do lugar, que está interditado desde novembro do ano passado.

“A questão é de segurança, cuidado com a vida das pessoas que ali freqüentam,  e tudo deve ser feito com calma e bem estudado”, observou.