Publicidade
Manaus
Cotidiano,TJAM,MP/AM,Operação Cachoeira Limpa,caso ferrugem,Presidente Figueiredo

Novo pedido de vistas adia julgamento de denúncias contra o promotor de Justiça do "Caso Ferrugem"

Promotor Ronaldo Andrade é acusado pelo Ministério Público de ter forjado, junto com policiais civis, uma falsa troca de tiros, durante a “Operação Cachoeira Limpa”, que resultou na morte do empresário Fernando Araújo Pontes, o “Ferrugem” 24/04/2012 às 12:45
Show 1
MPE acusa promotor Ronaldo Andrade de forjar troca de tiros, que resultou na morte de uma pessoa
Síntia Maciel Manaus

Mais um pedido de vistas foi feito nesta terça-feira (24) durante a audiência do Pleno do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM), sobre a aceitação ou não da denúncia contra o promotor de Justiça Ronaldo Andrade.

O pedido foi solicitado pelo desembargador Domingos Chalub.

No último dia 10, durante audiência do pleno que iria avaliar as acusações contra o promotor de Justiça, o desembargador Flávio Pascarelli pediu vistas do processo, suspendendo a audiência.

O promotor de Justiça Ronaldo Andrade é acusado pelo Ministério Público do Estado (MPE/AM) de ter forjado, junto com policiais civis, uma falsa troca de tiros, durante a “Operação Cachoeira Limpa”, ocorrida em maio do ano passado, no município de Presidente Figueiredo – situado a 107 quilômetros de Manaus -, que resultou na morte do empresário Fernando Araújo Pontes, 25, o “Ferrugem”.

A “Operação Cachoeira Limpa” investigava entre outras coisas uma rede de pedofilia e prostituição infanto-juvenil em Presidente Figueiredo. Os envolvidos no esquema de pedofilia aliciavam as vítimas nas escolas, em troca de dinheiro.