Publicidade
Manaus
Manaus

Novos "balneários" em Manaus apresentam risco para a população, alerta Corpo de Bombeiros

Até o mês de maio, os bombeiros registraram 24 casos de afogamento envolvendo crianças e adolescentes em todo o Amazonas 03/06/2012 às 18:36
Show 1
Novos balneários se formam devido a cheia do rio Negro em Manaus
Acritica.com Manaus

Os novos “balneários” formados pela alagação das ruas causada pela cheia dos rios não apresentam condições de segurança para mergulho das pessoas e trazem sérios riscos de transmissão de doenças, além de possíveis mortes por afogamento. O Corpo de Bombeiros do Amazonas esteve durante todo o fim de semana realizando uma operação educativa para orientar a população sobre o assunto.

Os bairros como Puraquequara, São Raimundo, Glória e Educandos, que são cortados por igarapés, se tornaram balneários alternativos após a cheia do rio Negro na cidade. Os locais viraram balneários favoritos para as crianças que brincam sem se dar conta dos riscos. Até o mês de maio, os bombeiros registraram 24 casos de afogamento envolvendo crianças e adolescentes em todo o Amazonas.

Para o Corpo de Bombeiros, os índices têm relação direta com a cheia. Com a chegada do verão, a tendência é aumentar. A finalidade da operação educativa é mostrar para as pessoas que os locais alagados não apresentam a segurança necessária para o banho.

A equipe dos bombeiros percorreu toda a orla de Manaus e a Ponte Rio Negro, onde a população pesca e toma banho aos fins de semana. Pela orla da cidade, os bombeiros flagraram diversas crianças desacompanhadas tomando banho nas águas poluídas. No São Raimundo, os bombeiros encontraram um grupo de crianças, com idade a partir de cinco anos, usando um barco naufragado como escorregador para mergulhar no rio.

Também no São Raimundo, os bombeiros flagraram alguns adolescentes pulando da ponte que liga o bairro ao centro da cidade para o rio. Eles nadavam sem se preocupar também com as embarcações que usam o lugar como rota de navegação. Um outro grupo de crianças, abordado pela equipe da operação dos bombeiros, na região do Bariri, estava em uma canoa sozinho, sem qualquer responsável.