Publicidade
Manaus
Manaus

Novos radares eletrônicos instalados em Manaus devem 'pegar' motoristas de surpresa

A mudança segue à resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que derrubou, em dezembro do ano passado, a obrigatoriedade do aviso de radar e dispositivo de controle de velocidade em vias públicas. 14/06/2012 às 07:31
Show 1
Você está vendo algo estranho no centro desta foto? Não? Imagine trafegando a 60 km/h. O corujinha na Torquato Tapajós já segue nova resolução do Contran e vai pegar muita motorista de surpresa
florêncio mesquita Manaus

Os cinco novos controladores de velocidade,  conhecidos como radares eletrônicos,  instalados em duas zonas de Manaus estão em fase de testes. A partir do início de operação dos equipamentos, contudo, o motorista manauense  perceberá uma grande diferença que pode punir com multas surpresas e elevadas os desavisados ou os desatentos. Acontece que o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) não colocará mais as placas que indicam a existência de fiscalização eletrônica antes dos equipamentos nem os painéis  eletrônicos que mostram a velocidade do veículo.

Os controladores eletrônicos terão apenas os sensores com câmeras que medem e capturam a imagem dos veículos que trafegam com velocidades acima das permitidas nas vias onde o equipamento estiver instalado.

A mudança segue à resolução do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que derrubou, em dezembro do ano passado, a obrigatoriedade do aviso de radar e dispositivo de controle de velocidade em vias públicas. A resolução  396 entrou em vigor e todo o País no dia 22 de dezembro de 2011.

No entanto, logo no início da vigência da resolução, o Manaustrans defendeu a manutenção das placas e informou que elas continuariam sendo colocadas porque têm efeito educativo, sendo fundamentais para a orientação do motorista  e, da mesma forma, contribui para a redução de acidentes.

O Manaustrans informou que  os avisos serão mantidos apenas nas ruas e avenidas  que já contam com a sinalização vertical e horizontal como é o caso, por exemplo, da avenida Governador José Lindoso, a avenida das Torres. Nas demais não haverá indicação sobre a fiscalização eletrônica. A placa indicativa da  velocidade máxima permitida para o trecho continua sendo obrigatória.

Os equipamentos  estão sendo aferidos e testados pelo Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem/AM).  

Localização
Dois equipamentos foram instalados na avenida Governador José Lindoso, na Zona Centro-Sul.  Os controladores de velocidade foram colocados nos dois sentidos da avenida e tem limite máximo de velocidade permitida de 60 km/h.

Outros dois  foram instalados na avenida Coronel Jorge Teixeira, na Ponta Negra,  Zona Oeste, sendo também um em cada sentido da via. O quinto controlador está na avenida Torquato Tapajós, na altura da fábrica Phillips, na Zona Oeste. A instalação e manutenção dos dispositivos continuam sendo feitas pela empresa Consladel.
    
Transferência incompleta
Até novembro do ano passado, o Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans) mantinha oito radares e lombadas de fiscalização eletrônica nas ruas da cidade.

Os equipamentos estavam instalados nas avenidas General Rodrigo Otávio, André Araújo e Ephigênio Salles e foram desativados para serem transferidos para outros corredores viários considerados críticos para a segurança do pedestre.

Entres eles estão a avenida Torquato Tapajós, contemplada com o controlador de velocidade; avenida do Turismo e avenida Autaz Mirim. Estas duas ainda não receberam o equipamento.

Inicialmente, o prazo para a execução da mudança era  novembro de 2011. Na época, o Manaustrans justificou que os radares estavam sendo transferidos porque tinham atingido o objetivo de educar o motorista para o limite de velocidade nesses locais.
    
Início
O sistema de radares fotográficos de velocidade e de avanço de sinal começou a ser implantado em Manaus no dia 5 de maio de 2011. Eram 32 equipamentos, sendo 11 lombadas eletrônicas e 21 dispositivos que fiscalizavam o avanço de sinal e parada sobre faixa de pedestres.

Intuito
O objetivo era coibir abusos de velocidade e de avanço no sinal vermelho, que, segundo a prefeitura ,contribuem comprovadamente para os acidentes graves de trânsito.

Erro
No dia 9 de maio de 2011, os novos radares de fiscalização eletrônica começaram a apresentar falhas na medição de velocidade dos veículos. No dia seguinte o Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem/AM), responsável pela aferição, esclareceu que os dispositivos tinham uma margem de erro de 5 km/h, para mais ou para menos.
    
Consladel investigada pelo MP
Os controladores de velocidade usados em Manaus estão sendo instalados pela empresa Consladel, que foi acusada de fazer parte de um esquema de corrupção envolvendo prefeituras em reportagem de A CRÍTICA e depois do programa  ‘Fantástico’ da Rede Globo.

A suspeita foi motivo para o pedido de instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Câmara Municipal de Manaus (CMM). A CPI da Consladel, como foi chamada, foi proposta pelo vereador Wilton Lira (PTB), mas não prosperou.

O contrato de R$ 90 milhões entre a Consladel e a Prefeitura de Manaus ficou sob suspeita depois da reportagem o que fez com que o Centro de Apoio Operacional de Inteligência, Investigação e Combate ao Crime Organizado (Caocrimo) do Ministério Público Estadual (MPE) decidisse investigar o contrato e as atividades executadas pela empresa.

Na ocasião, foram ouvidos  o secretário Municipal de Infraestrutura (Seminf), Américo Gorayeb, o presidente do Manaustrans,  Walter Cruz, e dois técnicos da prefeitura que acompanharam a licitação.

A empresa é responsável pelas lombadas eletrônicas, dispositivos que detectam avanço de sinal vermelho, sinalização vertical e horizontal, placas de orientação turística, semáforos inteligentes, além da implantação do Centro de Controle Operacional (CCO).
    
Equipamento tem tecnologia simples
Os corujinhas possuem três  sensores colocados no asfalto, antes ou depois do poste onde está localizada a câmera, para tirar a foto da placa.  No poste além da câmera, também tem o flash e uma caixa a prova de balas.