Publicidade
Manaus
DRENAGEM PROFUNDA

Obra da avenida Djalma Batista segue sem prazo para conclusão, diz Seminf

Trecho da via foi interditado há 39 dias para a troca da rede, que estava comprometida. A primeira etapa da obra foi concluída no dia 21 do mesmo mês 17/04/2018 às 20:24
Show av.djalma 123
Tubulação foi trocada após análise técnica da prefeitura indicar, no fim de 2017, que as tubulações estavam comprometidas. Foto: Winnetou Almeida
Álik Menezes Manaus (AM)

Com 60% das obras de instalação da nova rede de drenagem profunda na avenida Djalma Batista, no trecho entre as ruas Pará e a João Valério, concluídas, os trabalhos ainda não tem prazo para serem completamente finalizados. A obra foi iniciada no dia 9 de março e teve a primeira etapa concluída no dia 21 do mesmo mês, liberando parte da via.

Segundo a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), essa é a segunda etapa da intervenção para a substituição de 42 metros da antiga rede de drenagem profunda da pista que possuía mais de 40 anos.

Atualmente, segundo a pasta, os operários executam a implantação da tubulação e dos acabamentos para a construção da caixa coletora estrutural, que desviará a antiga rede das edificações do local. Após esse serviço, será realizada a desativação da tubulação que passa por baixo de uma rede de lanchonetes fast-food e a canalização do igarapé para a nova rede. 

Depois, será realizado o reaterro da área, terraplanagem e então será inicada a pavimentação e sinalização da rua. Diante do trabalho “cauteloso”, conforme a secretaria, não há prazo para o trabalho ser concluído. “Os trabalhos no local ocorrem na área tapumada, de segunda a sábado, e contam com três equipes da Seminf, além de vários maquinários”, informa a nota.

A primeira etapa dos trabalhos foi concluída no dia 21 de março, na qual foram feitos serviços de drenagem profunda, meio-fio, sarjeta, 27 metros de calçada e também foi implantado um “poço de visita”, que irá servir de acesso à rede de drenagem para futuras manutenções, sem a necessidade de interrupção do fluxo de veículos na avenida.

“Estamos implantando aqui uma nova rede de drenagem que terá durabilidade de décadas. Um trabalho cauteloso devido às condições em que encontramos a antiga tubulação. Constatamos que essa nossa intervenção evitou até uma possível tragédia”, destacou  o secretário municipal de Infraestrutura, Kelton de Aguiar, ao comentar o andamento das obras na avenida na semana passada.

“Sabemos da importância dessa via para cidade e, por isso mesmo, não estabelecemos prazos para a finalização dos serviços. O que podemos garantir é que todos os esforços estão sendo feitos para que a via seja liberada em um tempo célere, porém, com muita responsabilidade”, ressaltou  o secretário.

“Nossa preocupação maior aqui é salvaguardar as edificações e também a segurança das pessoas que aqui trabalham e circulam”, destacou o vice-prefeito, Marcos Rotta, ao visitar a obra no mês passado.

Faixa Azul liberada

Enquanto a obra não é finalizada a Faixa Azul da avenida Constantino Nery, que absorveu boa parte do fluxo de veículos  em função da interdição do trecho da Djalma Batista, segue liberada. Já são 39 dias ininterruptos de trabalho na obra de troca da rede subterrânea de drenagem da avenida

Publicidade
Publicidade