Publicidade
Manaus
SAÚDE

Oficina capacita jovens para serem multiplicadores na prevenção ao HIV/Aids

Denominada 'Oficina Regional de Prevenção Combinada para Jovens', a atividade é organizada pelo Ministério da Saúde (MS), em parceria com a Coordenação Estadual de IST/AIDS e Hepatites Virais 23/08/2017 às 11:58
Show capa
(Foto: Euzivaldo Queiroz)
Paulo André Nunes Manaus (AM)

Acontece de hoje até a próxima sexta-feira, tendo como local a Inspetoria Salesiana Laura Vicuña, na avenida André Araújo, Aleixo, uma oficina que visa para capacitar jovens de 18 a 26 anos, para atuarem como agentes multiplicadores das ações de prevenção ao HIV.

Denominada “Oficina Regional de Prevenção Combinada para Jovens”, a atividade é organizada pelo Ministério da Saúde (MS), em parceria com a Coordenação Estadual de IST/AIDS e Hepatites Virais e as secretarias municipais de saúde.

Serão capacitadas cerca de 50 pessoas, sendo 20 do Amazonas – da capital e dos municípios de Manacapuru, Itacoatiara, Parintins, Benjamin Constant, Tabatinga e Tefé. As demais vagas serão ocupadas por representantes do Acre, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins. A capacitação acontece de 9h às 18h.

O Estado do Amazonas registrou 15.149 casos de Aids, no período de 1986 a agosto de 2016, conforme números do Departamento Vigilância, Prevenção e Controle da  IST/Aids e Hepatite Virais.

Destes, Manaus teve 12.179 casos (80,39%), Parintins 265 (1,74%), Tabatinga 248 (1,63%), Itacoatiara 157 (1,04%), Tefé 155 (1,02%) e Manacapuru (0,74%). A partir de 2006 o Amazonas tem apresentado taxas de detecção superior à média nacional.

“Temos priorizado muito a população de jovens pois quando olhamos os índices epidemiológicos e taxas de detecção de Aids, a incidência, em sua maioria, são em jovens de 15 a 24 anos. Eles precisam de abordagem diferenciada e que contemplem essas  necessidades e especificidades”, comentou Diego Calisto, assessor técnico de HIV/Aids do Ministério da Saúde (MS). 

“O MS quer estimular e potencializar o protagonismo dos jovens na construção de respostas à alta prevalência de HIV/AIDS nessa faixa etária”, explica Silvana Lima, coordenadora estadual de IST/AIDS e Hepatites Virais, área técnica vinculada à Fundação de Medicina Tropical Dr Heitor Vieira Dourado (FMT-HVD).