Publicidade
Manaus
Manaus

Omar Aziz anuncia Rossieli Soares para o comando da Seduc

Natural do Rio Grande do Sul, Rossieli Soares chegou à Seduc em 2008 pelas mãos do diretor do departamento de Logística do órgão, Eduardo Lacerda 01/09/2012 às 09:54
Show 1
Rossiele da Silva chegou à Seduc em 2008, a convite do ex-titular da pasta
acritica.com Manaus

O governador Omar Aziz anunciou na manhã desta sexta-feira (31) o nome de Rossieli Soares da Silva, então secretário-adjunto da Secretaria de Estado da Educação (Seduc), como o novo titular da pasta.

Conforme adiantou na edição de hoje o jornal A CRÍTICA, Rossieli era um dos cotados para assumir o comando da Seduc. A informação havia sido apurada por A CRÍTICA com fontes do Governo do Estado.

Natural do Rio Grande do Sul, Rossieli Soares chegou à Seduc em 2008 pelas mãos do diretor do departamento de Logística do órgão, Eduardo Lacerda. Antes, segundo informações apuradas por A CRÍTICA, ele atuava na Secretaria Estadual de Infraestrutura (Seinfra).

Na Secretaria de Educação, assumiu o comando do Departamento de Planejamento. Depois, a Secretaria-adjunta de Gestão.

A direção da Seduc, que tem o segundo maior orçamento do Estado, R$ 1,3 bilhão, estava vaga há 37 dias. No dia 25 de julho, Gedeão Amorim deixou o cargo sob suspeita de utilizar a Seduc como reduto eleitoral para alavancar candidaturas.

Vazou para a imprensa gravação em áudio de uma reunião com cargos comissionados da secretaria onde o ex-secretário anuncia apoio a um candidato a vereador em Manaus.

Como secretário-adjunto de Gestão, Rossieli Soares tinha entre as suas tarefas coordenar as atividades prestadas pela empresa Bain & Company que mantém contratos com a Seduc, sem licitação, no valor de R$ 5,9 milhões para consultoria, segundo dados do portal Transparência do Governo do Estado.

Um dos empenhos publicados no portal diz que a firma faz "serviços especializados visando a implementação de melhoria na estrutura organizacional da Seduc, na estrutura pedagógica e na gestão escolar objetivando a melhoria do ensino fundamental e médio".

Outra nota de empenho informa que a Bain & Company foi contratada para consultoria visando a definição de melhorias de gestão em subestruturas da organização no desempenho dos alunos em exames padronizados.

A dispensa do processo licitatório foi enquadrado na modalidade inexibilidade. Essa medida é tomada quando o Estado necessita contratar um determinado serviço, que possui características especiais, que apenas um fornecedor possua.