Publicidade
Manaus
Manaus

Omar faz balanço de governo e anuncia novas obras

“Ano que vem, vamos rasgar essa cidade de obras”, disse Omar, ao se referir aos novos anéis viários que serão construídos 26/12/2012 às 18:24
Show 1
Omar falou das ações executadas este ano e das obras que sedem ser realizadas em 2013
acritica.com Manaus

O governador Omar Aziz fez um balanço das ações de governo nesta quarta-feira, durante lançamento da última etapa de implantação doprograma Ronda no Bairro na zona Sul, e anunciou investimentos pesados em infraestrutura, a partir do lançamento de grandes obras em 2013.

“Ano que vem, vamos rasgar essa cidade de obras”, disse Omar, ao se referir aos novos anéis viários, à avenida das Flores e outras intervenções viárias, além das obras do Prosamim da Bacia do São Raimundo e do Igarapé da Cachoeira Grande, no São Jorge, nas zonas sul e oeste, respectivamente.

Parte das obras conta com financiamento do Governo Federal. Semana passada, o Governo do Estado recebeu um reforço de quase R$ 800 milhões para serem investidos em infraestrutura na capital e no interior. Segundo Omar Aziz, as obras ajudarão a preparar Manaus e o Amazonas para o futuro.

Entre as novas obras estão os dois anéis viários – o  Sul, que vaiduplicar  8,3 quilômetros da estrada do Tarumã, na zona oeste, e daavenida Santos Dumond até a Torquato Tapajós; e o Leste, entre aReserva Duque e a Bola do Distrito Industrial II. São mais de 30 quilômetros de intervenções viárias contornando a cidade para ligar o Distrito Industrial ao Aeroporto Internacional Eduardo Gomes e que também vão permitir a retirada do fluxo de veículos pesados das ruas centrais.

A obra dos dois anéis viários custará R$ 276 milhões, recursos emprestados pelo Governo Federal a fundo perdido e que já estão disponíveis para serem usados. No último dia 20, quando esteve em Manaus para a inauguração da primeira etapa do Residencial Viver Melhor, o ministro das Cidades, Aguinaldo Ribeiro, trouxe ao governador Omar Aziz a notícia de que o recurso havia sido empenhado naquele dia.

Ainda na última semana foi assinado com o Banco do Brasil outro empréstimo de R$ 517 milhões, também para grandes obras, a maioria no interior do Estado. Os recursos são oriundos do Pro- Invest, uma linha de crédito criada pelo Governo Federal para aplicação em investimentos pelos Estados brasileiros.

Segundo o governador, no mais tardar, na sexta feira (28 de dezembro) parte dos recursos deverá ser depositada pelo Banco do Brasil na conta do Estado. Entre as obras a serem realizadas com os recursos do Pro-Invest estão as estradas que ligam Caapiranga a Novo Airão e Codajás a Anori.

Segundo o governador, a liberação dos recursos faz parte dos compromissos assumidos pela presidenta Dilma Rousseff com ele e a bancada de deputados do Amazonas. Dilma também assumiu  recentemente compromisso de construção de sete aeroporto novos, além da reforma de mais 18. “Vamos dotar os aeroportos de condições para que haja uma aviação regular, porque a maioria desses aeroportos não está credenciada pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac)”, disse Omar Aziz. 

As obras de infraestrutura são fundamentais, segundo o governador, para garantir o desenvolvimento futuro do Estado. “Precisamos resolver os gargalos de hoje, mas também preparar o Amazonas para o futuro”, observou. Obras em andamento

O Governo do Estado mantém centenas de obras em andamento na capital e no interior do Estado e outras sendo projetadas. Entre as mais importantes está a avenida das Flores – com 11,1 quilômetros de extensão e investimentos de R$ 221,7 milhões.

Há ainda outras três intervenções viárias, com financiamento da Comissão Andina de Fomento (CAF), para melhorar a fluidez no trânsito em Manaus: ligação da avenida Max Teixeira à avenida do Turismo; articulação viária iniciando na Estrada dos Franceses, influenciando no acesso ao complexo de Flores e avenida das Torres; acesso viário da saída da ponte Rio Negro para o bairro da Glória e avenida Coronel Teixeira.  

A estimativa de investimento é de R$ 370 milhões. A duplicação da AM-070 também é destaque, com investimentos de R$ 211 milhões em 78 quilômetros da estrada Manaus-Manacapuru.

Prosamim

Dois novos projetos estão em andamento pelo Programa Social e Ambiental dos Igarapés de Manaus (Prosamim). O projeto da bacia do São Raimundo  vai remanejar  4.780 famílias das margens de igarapés nos bairros de São Raimundo, Gloria, Aparecida, Presidente Vargas e parte do Centro, além de fazer toda a reurbanização da área. O projeto todo vai custar US$ 400 milhões. 

O Prosamim da Artur Bernardes vai urbanizar o trecho entre a avenida Kako Caminha e a ponte do São Jorge, retirando 2.358 famílias cujas casas estão abaixo da cota de inundação. A obra no valor de R$ 78 milhões prevê ainda a construção de 1,5 mil unidades habitacionais, com mais R$ 65 milhões disponibilizados pela Caixa via programa Minha Casa, Minha Vida.

“ Estamos trabalhando pra retirar em apenas um ano mais de cinco mil famílias dos igarapés”, destacou o governador, que espera concluir o remanejamento antes da próxima cheia.

Sobre a situação das 500 famílias vítimas de incêndio na Artur Bernardes, o governador lembrou que está pagando o aluguel social e que em breve entrega o kit com utensílios domésticos (geladeiras, fogões, entre outros). Segundo Omar, os produtos ainda não foramentregues por falta no mercado. “O estoque das lojas estava comprometido com as vendas de Natal e Fim de Ano”, observou.

Educação e Social

O governador também fez uma avaliação sobre os principais programas de governo, em especial à área social e disse que precisará readequar projetos como o Viver Melhor, voltado para adaptação de casas de pessoas com deficiência e o Oportunidade & Renda, voltado para qualificação e geração de emprego e renda. Na área educacional, garantiu que vai construir mais de 20 Centros de Educação de Tempo Integral no interior do Estado.

Outro destaque do balanço de governo foi para o setor primário, que segundo o governador, este ano bateu todos os recordes de concessão de empréstimo no interior. Foram  distribuídos cerca de R$ 150 milhões em recursos federais para ajudar as vítimas da cheia a recuperar a produção.