Publicidade
Manaus
Manaus

Operação 'Lei Seca' da Polícia Civil fecha bares e detém pessoas em Manaus

De acordo com a assessoria da PC, em alguns estabelecimentos foi possível verificar a presença de menores de idade, armas ou drogas. Algumas pessoas também foram detidas por apresentar estado de embriaguez 28/10/2012 às 06:35
Show 1
Algumas pessoas foram detidas pelos policiais civis por apresentar estado de embriaguez
acritica.com Manaus

Aproximadamente dez estabelecimentos comerciais foram fechados durante a madrugada deste domingo (28) em cumprimento a Lei Seca na cidade de Manaus. Outras pessoas foram detidas por descumprir a lei, apresentando estado de embriaguez. A ação da Polícia Civil (PC) contou com a presença de equipes de conselho tutelar e juizado de menores.

De acordo com a assessoria da PC, em alguns estabelecimentos foi possível verificar a presença de menores de idade, armas ou drogas. A ação iniciou as 22h e terminou por volta de 2:30h.

Locais como a praça do caranguejo, no Conjunto Eldorado, zona Centro-Sul, foram fiscalizados além de estabelecimentos em todas as outras zonas da cidade.

Na Avenida do Turismo, os bares que descumpriam a Lei Seca foram fechados. Na zona Sul, no Boulevard Álvaro Maia, um cabo da Polícia Militar foi abordado na companhia de um homem de 69 anos. Ambos aparentavam estado de embriaguez e foram conduzidos ao 1º Distrito Integrado de Polícia (DIP).

Na zona Norte uma mulher de 30 anos foi notificada por estar com os dois filhos menores em uma festa. No local ainda foi constatado o consumo de bebida alcoólica, em descumprimento à Lei Eleitoral.

Ainda na Zona Norte, o dono do bar “Meia Noite e Cia” foi autuado e encaminhado ao 15º DIP, após ser flagrado vendendo bebida alcoólica. No interior do bar foram encontrados um menor e, com um dos clientes, uma porção pequena de substância semelhante a maconha.

Na Zona Leste, no bar Fla Manaus, localizado na Avenida Itaúba, Jorge Teixeira, um homem foi preso após ser flagrado em posse de dois revólveres calibre 38 e mais 16 munições do mesmo calibre. Ele é o proprietário do estabelecimento e afirmou que tinha os revólveres para se defender de assaltos, mas confirmou não ter a licença obrigatória. Ele foi encaminhado ao 14º DIP e autuado em flagrante por posse ilegal de arma de fogo.


Resultado positivo

“Cada Delegacia Seccional ficou responsável por notificar os estabelecimentos de sua região ao longo da semana, assim como já havia ocorrido no primeiro turno. Desta forma, os proprietários se anteciparam no cumprimento da lei e fecharam os bares dentro do horário, gerando tranquilidade para o pleito”, disse o Delegado Geral Adjunto, Mário Aufiero.