Publicidade
Manaus
Manaus

Operários param obra na Zona Leste por falta de pagamento

A obra de recuperação da pista  na rua Londres, cujo buraco tem aproximadamente 12 metros de profundidade e surgiu depois da construção de um bueiro, está paralisada 25/08/2012 às 08:48
Show 1
Recuperação da rua Londres foi interrompida e não há previsao de retomada
Milton de Oliveira Manaus

Os trabalhadores da Construtora Amazon, empresa responsável pelas obras de recuperação de buracos em vias públicas do bairro Grande Vitória, Zona Leste, denunciaram nesta setxa-feira (24) questão sem receber salários desde junho. Devido a problemas salariais e condições precárias, operadores de máquina e serventes vão ao local para apenas cumprir horários de serviço.

A obra de recuperação da pista  na rua Londres, cujo buraco tem aproximadamente 12 metros de profundidade e surgiu depois da construção de um bueiro, está paralisada. “Dá pena ver a situação desses trabalhadores. Soubemos de casos em que alguns tiveram o fornecimento de energia da residência cortada por não receber o salário”, disse a moradora Sebastiana dos Santos, 55.

Ela contou também que muitos trabalhadores merendavam nas casas dos moradores porque “não tinham de onde tirar o dinheiro” para o lanche. “Eles recebiam uma quentinha, mas, durante à tarde, não tinham o que merendar e a comunidade, vendo a situação, não ia negar a eles um pedaço de pão com manteiga”, disse Sebastiana.

Moradores esperam pelo fim do trabalho
Os trabalhadores ficam sentados na janela de uma casa que está marcada para ser retirada com a sigla “GV”, conversando ou brincando com o celular. “O que os moradores querem é que as obras sejam concluídas. Mas, para isso, é preciso que os trabalhadores recebam o seu salário. Ninguém trabalha de graça”, disse Rosa Teixeira, 36.

De acordo com os moradores da rua Londres, proprietários de casas próximas ao barranco e consideradas em situação de risco, estiveram na Superintendência de Habitação do Amazonas (Suhab) para negociar indenizações e deixar o local.

Por meio da assessoria, o órgão de habitação informou que “não recebeu nenhuma solicitação”, sobre indenizações a moradores da rua Londres e que a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) está encarregada das ações naquele local.

Para a Seinfra, a informação de que as obras estão paradas “não procede”. E sobre a desapropriação e pagamento das indenizações disse que “as medidas nesse sentido já foram adotadas e encaminhadas à Superintendência Estadual de Habitação (Suhab)”.

Até o fechamento desta edição,  a Construtora Amazon não se pronunciou sobre a denúncia dos operários.

Segundo relatos dos moradores, o imenso buraco, começou a surgir em 2002, depois da construção de um bueiro na própria rua Londres.