Publicidade
Manaus
Manaus

"Oro por minhas vítimas", diz acusado de participar de assalto que vitimou PM no Amazonas

Assaltante preso por participar de assalto em que o coronel PM Luiz Gonzaga foi baleado disse estar arrependido do crime 09/08/2012 às 09:50
Show 1
Cassiano Pinho da Silva, 18, se apresentou voluntariamente nesta quarta-feira (8)
Joana Queiroz Manaus

O assaltante Cassiano Pinho da Silva, 19, foi apresentando pela polícia como sendo mais um integrante da quadrilha que, no sábado, participou do assalto a uma padaria localizada na avenida Torquato Tapajós, quando o superintendente da Sociedade de Navegação de Portos e Hidrovias (SNPH), Luiz Gonzaga da Silva Júnior, foi baleado.

Ele confessou ter feito um dos disparos que acertou o coronel, usando uma arma de fabricação caseira. “Nós só atiramos nele porque ele atirou em nós”, revelou o assaltante.

Além dele, a polícia apresentou o A.S.L., 16, que estava na direção do carro, um Voyage prata, usado na fuga.

Cassiano foi apresentado na manhã desta quarta (8) na Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), por familiares. Ele disse que estava com medo de morrer e que estava arrependido de ter atirado no coronel. “Eu estou orando por ele, para que fique logo bom”, disse.

Religioso
Cassiano contou que, quando vai fazer um assalto, ele ora antes pedindo proteção de Deus, para que tudo “corra bem” e que, depois, ora pelas vítimas e até chega a chorar por elas.

Aparentando nervosismo, com as mãos trêmulas e frias,  pálido e falando pausadamente, o rapaz contou como entrou para o mundo do crime. Ele relatou que foi criado pelos avós, na rua Santa Rosa, bairro Santo Agostinho, Zona Centro-Oeste, e que cresceu convivendo com assaltantes e traficantes de droga, como Aldenir Nunes Pereira, o “Loquinha” e outros, identificados como “Bila” e “Douglas”, todos moradores do beco São João, no Santo Agostinho. Os três já foram mortos em trocas de tiros ou brigas no presídio.

Vida de crimes
Cassiano disse que só estudou até a 8ª série do ensino fundamental e que desistiu da escola porque não conseguia tirar boas notas. Sonhava em ser médico, mas acabou optando pelo crime. “Fui para o crime por falta de opção. Mas ainda tenho esperança de me recuperar e mudar de vida”, disse.

Ele é usuário de droga desde os 12 anos de idade. O primeiro assalto aconteceu aos 14 anos, a um mercadinho. Desde então, não parou mais. Para ele, “cada assalto é uma emoção, adrenalina pura”.

Adolescente diz roubar “por prazer”
O adolescente A.S.L. foi preso na noite de terça-feira, na rua Fábio Lucena, bairro Novo Israel, por policiais militares, em um carro roubado. Ele foi apresentado ontem de manhã na Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (Deaai), onde confessou a participação no assalto e revelou que faz assaltos “por prazer” desde os 15 anos.

Em depoimento, disse que quem atirou no coronel foi Cassiano e um suspeito identificado como “Playboy”, que está foragido. Depois do assalto, o bando fugiu para um sítio no Ramal do Carrapato,  na AM-010, em Rio Preto da Eva, onde o chefe do bando, o fugitivo do regime semi-aberto, Renato Nascimento Palhares, 22, os aguardava.

Boletim médico
Segundo o último boletim médico emitido pelo hospital Dr. João Lúcio, na noite de terça-feira, o coronel Luiz Gonzaga foi submetido a uma tomografia que  apontou que as funções do organismo estão se recuperando rápido. Ontem,  os sedativos  que o mantinham em coma induzido foram suspensos e o paciente pode acordar a qualquer momento.