Publicidade
Manaus
Manaus

Pacientes com câncer têm quimioterapia adiada por atraso na entrega de medicamentos

A assessoria do FCecon informa que o remédio, usado em tratamentos de quimioterapia, não está disponível na unidade hospitalar por conta do atraso na entrega da remessa por parte do fornecedor 18/10/2012 às 13:00
Show 1
Aproximadamente 30 pacientes retornaram para casa por causa da falta do medicamento
Bruna Souza Manaus, Am

Atraso na entrega de medicamentos deixou pacientes com câncer sem tratamento, nesta quinta-feira (18) em Manaus. Segundo a assessoria da Fundação e Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon) o remédio Docetaxel deveria ter sido entregue na última quarta-feira (17), mas até esta quarta o hospital ainda aguarda a remessa.

De acordo com o analista de sistema Washington Lira, 37, aproximadamente 30 pacientes ficaram sem atendimento no setor de quimioterapia. Sua mãe de 61 anos, que desde o mês de novembro do ano passado faz um tratamento contra um câncer de mama, fez uma cirurgia no mês de junho e as sessões de quimioterapia foram marcadas apenas para o mês de outubro. Nesta quinta-feira (18) ele a levou até o hospital e ficou sabendo da falta do remédio.

“É inadmissível que um paciente, vítima de câncer, tenha que esperar por um remédio que não pode faltar no tratamento. Muitas pessoas que estavam aqui pela manhã vieram de outros municípios e agora não tem onde ficar, porque simplesmente o enfermeiro mandou a gente voltar para casa e deu o número do telefone da farmácia para ficar ligando, para ver quando o remédio vai chegar”, reclamou o analista.

Segundo uma enfermeira, que preferiu não se identificar, alguns pacientes foram encaminhados para casas de apoio, pois vieram de municípios do interior do estado. Uma senhora de cadeiras de rodas, não identificada, oriunda do estado do Pará também não recebeu o atendimento, não tinha como voltar para casa e retornar quando o medicamento estiver disponível.

Atraso na entrega

A enfermeira, que preferiu não se identificar, diz ainda que os pedidos para o fornecedor do medicamento já foram realizados.

A assessoria de comunicação da FCecon, em nota, esclarece que o medicamento em questão está em processo de aquisição e ainda não está disponível na unidade hospitalar por conta do atraso na entrega da remessa por parte do fornecedor.