Publicidade
Manaus
Cotidiano, Saúde, FCecon, MPE/AM, Câncer de colo de Útero, Quimioterapia, Radioterapia

Pacientes denunciam falta de remédios em hospital do câncer no AM

Além da falta de medicamentos, aparelhos utilizados para realizar radioterapia se encontram em constante manutenção, segundo eles  21/08/2012 às 18:24
Show 1
Reclamações de pacientes da FCecon foram levadas ao conhecimento do MPE-AM
acritica.com Manaus

A falta de medicamentos utilizados no tratamento de determinados tipos de câncer, bem como a falta de anestésico para cirurgias, além da manutenção de máquinas utilizadas nos serviços de radioterapia, são algumas das reclamações de acompanhantes de pacientes da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon), localizada no bairro  Dom Pedro, Zona Centro-Oeste de Manaus.  

Há mais de um ano acompanhando a mãe, a servidora pública Marina*, 45, em um tratamento de câncer de colo de útero, o vigilante Ramiro*, 24, reclama que nessa segunda-feira (20), o remédio que ela utiliza, o Platiram não pôde ser repassado a ela, por não haver no estoque do hospital. Segundo ele, há pacientes que também enfrentam a falta de outros medicamentos, essenciais para auxiliar no tratamento de outros tipos de câncer.  

Além do medicamento, o vigilante também informa que os equipamentos utilizados para realizar radioterapia nos pacientes – bombas de cobalto -, estão em constante manutenção.

“Por cinco vezes o tratamento dela já atrasou por conta da falta de remédios ou do aparelho que está sempre em manutenção. Nessa quarta-feira (22) ela deve fazer sessões, mas com certeza, quando chegar lá, o aparelho vai estar em manutenção”, desabafa.   

Ele relata que chegou a ir ao Ministério Público do Estado (MPE-AM), para denunciar a falta de medicamentos, no FCecon. Entretanto, ao chegar ao local foi surpreendido com a informação de que inúmeras denúncias semelhantes já haviam sido registradas pelo órgão, que por sua vez já estaria adotando as medidas cabíveis.  

A artesã Karina*, 18, que também acompanha uma tia de 56 anos, além de reclamar da falta do mesmo medicamento, denuncia que falta anestésico utilizado em cirurgias para casos mais graves.

“Tenho uma vizinha que precisa fazer uma cirurgia, e não sabe quando deverá ser operada, porque foi informada nessa segunda (20), de que não tem anestésico”, informa.

Afora a escassez de remédios e os equipamentos em manutenção, o pintor Arthur*, 33, chama a atenção para a falta de motoristas, para dirigir uma van que transporta os pacientes submetidos a quimioterapia e radioterapia, entre as suas residências e a FCecon.

Explicações
A Fundação Cecon por meio de sua assessoria de comunicação informou que o medicamento Platiram deverá chegar aos seus estoques no próximo sábado (25). Há aproximadamente um mês, conforme a assessoria da FCecon, foi feito um empenho solicitando ao laboratório do medicamento, o fornecimento do Platiram, mas em virtude de atrasos o remédio faltou nas prateleiras da unidade de saúde.

Nesta terça-feira (21) à tarde, os anestésicos foram repostos nos estoques, o que irá viabilizar a realização das cirurgias de casos graves, que estavam agendadas.

Em relação às bombas de cobalto, utilizadas pelos pacientes que são submetidos à radioterapia, os dois aparelhos existentes na instituição se encontram em plena atividade, atendendo quem precisa fazer o referido tratamento.  

A respeito do serviço de vans oferecido aos pacientes, a assessoria também explicou que o transporte de quem realiza sessões de quimioterapia e radioterapia é realizado por uma entidade filantrópica, que presta auxílio a quem precisa ser atendido na FCecon. Tal serviço não tem ligação direta com aqueles prestados pelo hospital.

*Nomes fictícios mudados a pedido dos entrevistados