Publicidade
Manaus
TRANSPORTE

Paralisação de ônibus prejudicou mais de 130 mil usuários e justiça será acionada

Usuários das zonas Norte, Oeste e Centro-Oeste ficaram sem transporte coletivo nesta quarta (4), depois de mais uma paralisação irregular realizada por sindicalistas 04/01/2017 às 12:51
Show show greve
População foi prejudicada pela paralisação na manhã desta quarta-feira (4)
acritica.com

O Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram) vai informar ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT) sobre a paralisação irregular ocorrida na manhã desta quarta-feira (4) em duas empresas da capital. Com as paralisações, cerca de 130 mil pessoas foram prejudicadas nas zonas Norte, Oeste e Centro-Oeste. As duas empresas voltaram a operar, em sua normalidade, por volta das 7h.

 A primeira paralisação ocorreu na garagem do Grupo Eucatur, onde funcionam as empresas Transtol, Rondônia e Integração. Lá, os sindicalistas chegaram por volta de 4h da manhã e só liberaram a saída dos carros às 6h10. A concessionária opera 56 linhas, a maioria em bairros da zona Norte. Cerca de 100 mil passageiros foram prejudicados, já que 359 carros que operam em 56 linhas, foram impedidos de sair das garagens.

 Por volta de 5h30 os sindicalistas chegaram à garagem da Viação São Pedro, localizada na zona Oeste. A paralisação durou cerca de uma hora e prejudicou cerca de 30 mil usuários das zonas Oeste e Centro Oeste. A empresa opera 22 linhas nas duas zonas da cidade e apenas 50 carros, dos 122 que a empresa possui, conseguiram sair.

 Segundo o departamento jurídico do Sinetram, será pedido ao Tribunal Regional do Trabalho (TRT), a ilegalidade da greve, uma vez que ninguém foi notificado sobre o movimento paredista e nem por qual motivo houve a paralisação. 

*Com informações da assessoria de comunicação.