Publicidade
Manaus
Cotidiano, Transporte coletivo, Transporte público, Rodoviários, greve, Sinetram

Paralisação dos rodoviários, em Manaus, gera prejuízo de R$ 1 milhão às empresas de transporte coletivo

A estimativa é de um dos dirigentes do Sinetram, César Tadeu, que também rebateu as declarações do prefeito em exercício, de que a entidade teria um "plano B", para garantir ônibus à população 10/04/2012 às 14:56
Show 1
O Sinetram não dispõe de um plano B, nos casos de paralisação dos rodoviários, disse César Tadeu em entrevista coletiva
Síntia Maciel e Milton de Oiiveira Manaus

A paralisação dos rodoviários nesta terça-feira (10) em Manaus gerou um prejuízo de R$ 1 milhão às empresas que atuam no setor de transporte coletivo, de acordo com o diretor executivo do Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiro (Sinetram), César Tadeu Teixeira.

Ele estima que aproximadamente 500 mil usuários do setor fora prejudicados com a paralisação dos rodoviários, que teve início por volta das 5h, encerrando aproximadamente às 12h, após um acordo firmado entre o procurador chefe do Ministério Público do Trabalho (MPT/AM), Jeibson dos Santos Justiniano e representantes da categoria.

Em entrevista coletiva, na manhã desta terça-feira, César Tadeu também rebateu as declarações prestadas pelo prefeito em exercício de Manaus, o juiz de Direito Lafayete Carneiro Vieira Júnior, de que o Sinetram teria um “plano B”, para resolver o caos que se instalou na cidade, devido a falta de ônibus de linha para atender a população.

“Não há plano B. O Sinetram não dispõe de um plano B, nos casos de paralisação dos rodoviários”, declarou.