Publicidade
Manaus
Manaus

Partidos têm 47 dias para decidirem sobre candidatos

Segundo a legislação vigente, dia 10 de junho será a data a partir da qual será permitido aos partidos políticos a realização de convenções para o anúncio dos candidatos e siglas que irão compor as coligações 14/05/2012 às 16:03
Show 1
Em 2008, o hoje governador Omar Aziz foi candidato à prefeitura com o apoio dos senadores Eduardo Braga e Alfredo Nascimento
Ana Carolina Barbosa Manaus

Os partidos políticos têm 47 dias para definirem quem serão e se terão candidatos próprios às prefeituras. É que, a partir do dia 10 de junho, será permitida a realização de convenções partidárias para a definição dos candidatos que encabeçarão as chapas majoritárias às prefeituras, além das siglas que irão compor as coligações, segundo a Resolução nº 23.341 do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), a qual estipula o calendário para as eleições municipais de 2012. O prazo final do processo é 30 de junho.

Dentro deste período, os partidos, como de costume, oficializarão as candidaturas próprias ou apoios a candidatos de outras legendas. Mas, a partir de 26 de maio, será “permitido ao postulante à candidatura a cargo eletivo realizar propaganda intrapardidária com vista à indicação de seu nome”, observado o prazo de 15 dias que antecede a data definida pelo partido para a escolha dos candidatos.

Ou seja, no caso de siglas como o Partido dos Trabalhadores (PT), por exemplo, que realizou, inclusive, reunião, na qual ficou decidido que a legenda abriria mão de uma eventual candidatura própria, mas depois voltou atrás e agora decidirá até o final do mês se mantém ou não a decisão, os 47 dias que estão por vir servirão para a reflexão dos dirigentes.

Em Manaus, pelo menos 14 nomes figuram como pré-candidatos à prefeitura.  São eles: Sinésio Campos (PT), Henrique Oliveira (PR), Marcos Rotta (PMDB), Chico Preto (PSD), Pauderney Avelino (DEM), Rebeca Garcia (PP), Francisco Praciano (PT), Serafim Corrêa (PSB), Hebert Amazonas (PSTU), Luiz Navarro (PCB), Hissa Abrahão (PPS), Vanessa Grazziotin (PCdoB), Artur Virgílio (PSDB) e o atual prefeito, Amazonino Mendes (PDT).

Contudo, dois deles, Sinésio Campos (PT) e Henrique Oliveira (PR), estão inelegíveis com a aprovação pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) da resolução que trata da prestação de contas nas Eleições 2012. Segundo a resolução, candidatos com contas da campanha de 2010 reprovadas não terão certidão de quitação eleitoral, exigida para o registro da candidatura.

Dos pré-candidatos, apenas o ex-prefeito de Manaus Serafim Corrêa se antecipou e anunciou que irá se candidatar em uma chapa denominada “puro sangue”, tendo como vice o deputado estadual Marcelo Ramos, do mesmo partido. Os demais ou alegam que aguardam decisão do partido, ou, a exemplo de Amazonino Mendes, dizem que não serão candidatos.