Publicidade
Manaus
Manaus

Pauderney faz acertos com Artur para ocupar secretaria do AM

Deputado federal diz que está conversando com o prefeito eleito de Manaus, Artur Virgílio Neto, sobre ida dele para uma secretaria do tucano 05/12/2012 às 08:26
Show 1
Pauderney Avelino foi um dos três candidatos a prefeitos de Manaus que, no segundo turno da eleição, declararam apoio e fizeram campanha para Artur Neto
Lúcio Pinheiro ---

O deputado federal Pauderney Avelino (DEM) confirmou, nesta terça-feira (04), que trata, sim, da saída dele da Câmara dos Deputados para o comando de uma secretária no governo do prefeito eleito de Manaus, Artur Neto (PSDB). “Ainda estamos conversando”, disse o parlamentar.

Pauderney concorreu à Prefeitura de Manaus ficando em 6º lugar. No segundo turno, o deputado federal declarou apoio a Artur. E foi para a rua fazer campanha para o tucano.

O que se comenta nos bastidores é que o deputado é cotado para assumir a pasta de Educação. Questionado, ontem, o parlamentar não confirmou. Mas também não desmentiu. “Vou tomar a decisão e vai ser anunciado em conjunto”.

Artur já informou que só fala em nomes de secretários depois do Natal. Segundo Pauderney, a ida dele para o governo tucano ainda depende de acertos. Mas não quis dizer quais. “Ainda não (se confirmou como secretário). Falta uma serie de questões”, comentou o deputado federal.

A eventual licença de Pauderney do mandato mexerá com, pelo menos, cinco nomes da fila de suplentes na Câmara de Deputados. Com a já confirmada ida da deputada Rebecca Garcia (PP) para a Secretaria de Estado de Governo (Segov), o primeiro da fila é Luiz Fernando Nicolau (PSD), que ocupará a vaga da parlamentar.

Com a saída de Pauderney, o próximo da fila de suplentes chamado a ocupar a  vaga que será deixada por ele é o atual secretário de Produção Rural do governo de Omar Aziz (PSD), Eron Bezerra, do PCdoB.

Nesta terça-feira, Eron adiantou que tomará posse na Câmara Federal apenas porque o ato é obrigatório. Mas, em seguida, pedirá licença, e retornará para a Secretaria de Estado de Produção Rural (Sepror). “Eu conversei com o governador ontem (segunda-feira) sobre isso. Ele pediu para tomar posse, que sou obrigado, e voltar à Sepror”, disse o comunista.

(A íntegra deste conteúdo está disponível para assinantes digitais ou na versão impressa).