Publicidade
Manaus
Manaus

Pedido de justiça marca cortejo do oitavo taxista assassinado em Manaus

A revolta é por conta de mais uma morte de trabalhadores da categoria. Desta vez, a do motorista de taxi José Vieira dos Santos, 57, conhecido como “Baiano”, assassinado com um tiro na nuca, no bairro do Educandos, Zona Sul de Manaus 26/07/2012 às 17:37
Show 1
No cemitério, família e amigos deram o último adeus ao taxista
Thiago Gonçalves Manaus (AM)

Revoltados, aproximadamente mil taxistas de Manaus fizeram uma manifestação na manhã desta quinta-feira (26) durante o cortejo fúnebre do oitavo taxista assassinado na capital. O ato foi marcado com pedido de justiça, visando chamar a atenção das autoridades.

“Mais de mil trabalhadores querendo justiça. Infelizmente mais um colega nosso morreu após ser roubado por esses bandidos. Um pai de família, trabalhador. Os nossos representantes têm que nos dar uma resposta imediata”, desabafa o presidente da comissão dos trabalhadores, Jorge Santana.

A revolta é por conta de mais uma morte de trabalhadores da categoria. Desta vez, a do motorista de taxi José Vieira dos Santos, 57, conhecido como “Baiano”, assassinado com um tiro na nuca, na madrugada dessa quarta-feira (25), no bairro do Educandos, Zona Sul de Manaus. Com mais este caso, sobe para oito, o número de vítimas da ação de bandidos, somente nos sete meses do ano.

Na noite da quarta-feira, a polícia prendeu o principal suspeito de matar o taxista. Julison Correa de Carvalho, o “Julinho do Areal”, 28, será apresentado pela Polícia Civil no início da tarde desta quinta-feira.

Enterro

O corpo do taxista José Vieira foi sepultado na manhã, no cemitério Parque Tarumã, na Zona Oeste de Manaus. Familiares e amigos participaram do cortejo e enterro do corpo do trabalhador, que deixou três filhos e a mulher.