Publicidade
Manaus
Manaus

Pelo menos 22 pessoas morreram em uma madrugada e IML fica lotado neste sábado (18)

A Polícia Civil informou por meio de nota que, sob a determinação do delegado-geral as delegacias especializadas em Homicídios e Sequestros e a de Roubos, Furtos e Defraudações estão investigando os crimes 18/07/2015 às 13:11
Show 1
Na manhã deste sábado (18), mais de 100 pessoas lotaram a sede do IML, na Zona Norte de Manaus
Oswaldo Neto Manaus (AM)

Pelo menos 22 pessoas morreram entre a noite de sexta-feira (17) e a manhã deste sábado (18) em Manaus. A informação é da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), que até a manhã de sábado registrava a contagem dos mortos. Os crimes foram cometidos em todas as Zonas da capital.  

Conforme registros da Polícia Cívil, os homicídios foram registrados entre 0h e 6h de ontem nos bairros Armando Mendes, São Francisco, Jorge Teixeira, Zumbi, Gilberto Mestrinho, Adrianópolis, Aleixo, Santa Etelvina e Santo Antônio. Segundo o Instituto Médico Legal (IML), todas as vítimas são homens, sendo que a maioria morreu baleada na cabeça.

Entre os mortos está Anderson Soares, de 25 anos. Ele foi assassinado com tiro na cabeça enquanto lanchava em um estabelecimento na rua Gabriel Gonçalves, bairro Aleixo, Zona Centro-Sul, por volta de 1h. A dona do estabelecimento, Rosimeire da Silva 37, afirma que nunca havia presenciado uma situação como aquela. 

“Foram vários tiros. Dá pra ver na parede as marcas. Eu estava dormindo quando ouvi o barulho. Quando corri pra cá, vi ele caído no chão”, disse ela. O corpo de Anderson foi levado ao Instituto Médico Legal (IML) e velado na manhã de  sábado.    

Vários registros

Até a publicação desta matéria, o IML continuava realizando a contagem dos corpos e não possuía um número fechado de assassinados. No IML, dezenas de parentes aguardavam desde a madrugada a liberação dos corpos. O clima era de luto, tristeza e perda nas dependências do local.

“Quero justiça, não é fácil perder um filho que não tinha nada a ver com a situação”, disse a familiar de Harlem Duque Protásio, 33, morto a tiros no Armando Mendes.     

O secretário de Segurança Pública do Amazonas, Sérgio Fontes, chegou a declarar para a imprensa local que achava o número elevado de mortes uma estranha concidência após o homicídio de um sargento da Polícia Militar, na tarde desta sexta. Para tratar do assunto, uma coletiva foi marcada para a tarde de sábado na sede da Secretaria de Estado de Segurança Pública (SSP-AM).

A Polícia Civil informou por meio de nota que, sob a determinação do delegado-geral, Orlando Amaral, as delegacias especializadas em Homicídios e Sequestros e a de Roubos, Furtos e Defraudações (Derfd) estão investigando os crimes. 

Vingança?

Em conversa com a reportagem do Portal ACRITICA.COM na noite desta sexta-feira (17), policiais militares, que preferiram não se identificar, comentaram que todos agirão como verdadeiros "motoqueiros fantasmas" para localizar os acusados.

“Toda vez que morre um PM em qualquer lugar do Brasil, todos os policiais de folga se juntam em campana na caça aos criminosos para localizar todos os envolvidos. Esses, pelo nosso código, se chamam 'motoqueiros fantasmas'”, destacaram.