Publicidade
Manaus
INOVAÇÃO

Pesquisadores fazem campanha para criação de teste único de Zika, Dengue e Chikungunya

O grupo faz uma campanha de arrecadação de verba para produção de um teste sorológico capaz de diagnosticar de uma só vez as doenças transmitidas pelo Aedes aegypti 21/09/2017 às 14:14 - Atualizado em 21/09/2017 às 16:34
Show pensquisadores 2
Os pesquisadores participantes do projeto são da Fiocruz e Ufam (Foto: Divulgação)
Amanda Guimarães Manaus (AM)

Um teste sorológico pode revolucionar a saúde brasileira e diagnosticar de uma só vez as três doenças transmitidas pelo mosquito Aedes aegypti. Para que a ferramenta chegue ao Sistema de Saúde Básica (SUS) e beneficie a população acometida por Zika, Dengue e Chikungunya, investimentos precisam ser feitos. Sem recursos, pesquisadores lançaram uma campanha de arrecadação de valores para a produção do protótipo. O grupo pretender conseguir R$ 95 mil por meio de doações e lançar o piloto do teste em 2019.

O projeto será desenvolvido por cientistas do Instituto Leônidas & Maria Deane (ILMD/Fiocruz Amazônia) e da Universidade Federal do Amazonas (UFAM). Um dos objetivos é tornar o diagnóstico disponível para aqueles que mais precisam, como os ribeirinhos do interior do Amazonas.

“A ideia de criar um teste específico para o diagnóstico simultaneamente dessas doenças surgiu da necessidade que temos no país, porque a cada ano mais pessoas são acometidas por estas endemias. O nosso objetivo é que o diagnóstico seja feito o mais breve possível, com a utilização de poucos recursos. No Brasil e em outros países não existe esse tipo de teste, como este que estamos propondo”, disse o pesquisador do ILMD/Friocruz Amazônia, Pritesh Lalwani.

Atualmente os diagnósticos da Zika, Dengue e Chikungunya são realizados de forma separada para cada vírus e, geralmente, nos primeiros dias dos sintomas. Segundo o pesquisador, com o novo teste seria possível diagnosticar deste os primeiros dias da infecção até mesmo várias semanas depois.

“A segunda fase da pesquisa é lançar o protótipo. A chance de funcionar é muito grande, porque vamos tirar o sangue da pessoa e de uma só vez diagnosticar os três vírus com reagentes. Queremos que o paciente saia com o resultado depois de 2 horas, que não demore uma semana, como acontece em Manaus. Em alguns municípios do interior do Amazonas, só fica pronto depois de um mês”, explicou.

Ao todo, seis pesquisadores participam do projeto. A meta é conseguir arrecadar o valor para que o piloto seja produzido o mais rápido possível.  “Tivemos um corte substancial nos recursos destinados à ciência e decidimos que iríamos lançar uma campanha para arrecadação de recursos junto a sociedade. Queremos alcançar um valor de R$ 95 mil”, ressaltou o pesquisador.

Os interessados podem contribuir na plataforma Kickante, e as contribuições podem ser feitas de R$ 10 a R$ 1.500 por cartão de débito, crédito e boleto bancário. Os doadores da campanha “Diagnóstico de vírus para todos”, recebem recompensas que podem ser testes IgG para as doenças para uma família de quatro pessoas.

“O novo teste diminuirá os custos do governo e será utilizado pelo SUS. O resultado saíra muito mais rápido. Quarenta pessoas já participaram da campanha de arrecadação de custos. Pedimos a colaboração da população, porque esse teste beneficiará todos no futuro. Ele poderá ser até adaptado para outras doenças”, destacou.

As doações podem ser realizadas até o dia 20 de outubro. No fim do projeto, um relatório de pesquisa e gastos com os nota fiscais, ficarão disponível para todos os contribuintes, basta entrar em contato com os pesquisadores.