Publicidade
Manaus
Manaus

PM é acusado de matar cachorro com um tiro na cabeça

O ato aconteceu na noite dessa terça-feira (19), por volta das 20h em um rip rap que fica entre os bairros Novo e Jorge Teixeira 3ª etapa, localizados na Zona Leste. Testemunhas garantem que a autoria do disparo é do soldado Singer, da 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) 20/02/2013 às 15:04
Show 1
Populares asseguram que “o ato covarde aconteceu sem motivos aparente”
JOELMA MUNIZ* Manaus

Um disparo de arma de fogo atingiu em cheio a cabeça de um cachorro na noite dessa terça-feira (19).O ato contra o animal ocorreu por volta das 20h em um rip rap que fica entre os bairros Novo e Jorge Teixeira 3ª etapa, localizados na Zona Leste de Manaus.

De acordo com informações de moradores do local, o soldado da 30ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) identificado como Singer seria o autor da ação, ele estaria acompanhado de outro soldado que não teve o nome identificado. Os populares asseguram que “o ato covarde aconteceu sem motivo aparente”.

Eles explicaram que pelo menos 15 crianças de 8 a 15 anos brincavam de ‘tacobol’ em um campo de areia, quando os militares se aproximaram e sem dizer uma palavra, disparam contra o vira-lata que teve morte instantânea.

“Os policiais deixaram a viatura do Ronda no Bairro estacionada na rua C do bairro Novo, seguindo a pé , eles chegaram ao campo onde estavam as crianças e dispararam”, disse uma moradora que preferiu não ter seu nome revelado por medo de represálias.

Amedrontados

O depoimento dos moradores relata um clima de mal estar entre a comunidade e os policiais que integram o programa Ronda no Bairro. Os comunitários reclamam da forma com que os militares da 30ª (Cicom) vêm realizando os patrulhamentos no local.

Segundo a dona de casa, Francisca Pereira Moreira, 45, todos estão amedrontados. Francisca disse que teve sua casa invadida por dois policiais na semana passada. “Eles entraram na minha casa sem mandado. Jogaram os meus pertences pelo chão dizendo que procuravam por drogas. Como não encontraram nada, foram embora sem me dar explicações”, reclamou.

Além de denunciarem a invasão da residência, os moradores garantem que os policiais usam de força física contra adolescentes. A truculência aconteceria no momento das abordagens de rua. “Não faz muito tempo eles bateram em um adolescente. Os disparos para cima também são constantes”, esbravejou uma vizinha de dona Francisca.

Corregedoria

Um grupo de moradores do local promete acionar nesta quinta-feira (21), a Corregedoria da Polícia Militar para denunciar os problemas com os PM’s. Conforme o grupo, o objetivo é levar o que consideram má conduta dos policiais ao conhecimento das autoridades competentes.

“Sabemos que o bairro enfrenta problemas com a criminalidade, mas aqui não existe só bandido. Somos gente de bem”, protestou uma moradora.

Investigação

A reportagem do acrítica.com conversou sobre o caso com o Tenente Coronel Fabiano Bó, na manhã desta quarta-feira (20). O oficial responsável pelo setor de comunicação da PM disse que os comunitários devem acionar a Corregedoria da instituição para que seja instalada investigação.

O Tenente Coronel explicou que após a corporação ser notificada, será feita investigação preliminar com base nas imagens e áudios captados pelas câmeras do Centro Integrado de Operação de Segurança (Ciops) instaladas nas ruas e também na viatura ocupada pela dupla de policiais.

Segundo ele, no procedimento geralmente já pode ser identificada a existência, ou não, de transgressão disciplinar ou crime militar. “Caso exista algo que deponha contra a guarnição, a dupla pode sofrer sindicância disciplinar ou responder a crime militar”, enfatizou o Tenente Coronel.

Colaborou o repórter Thiago Monteiro.