Publicidade
Manaus
Manaus

PMs que atiraram contra adolescente vão a júri popular em Manaus

Eles deverão sentar no banco dos réus no dia 7 de agosto para responder à acusação de tentativa de homicídio, atentado qualificado e roubo qualificado com uso de arma de fogo contra um adolescente de 14 anos de idade 12/07/2012 às 08:24
Show 1
Câmera de segurança flagrou momento em que policiais militares atiram no adolescente de 14 anos, no bairro Amazonino Mendes, Zona Leste de Manaus
Joana Queiroz Manaus

Os soldados da Polícia Militar do Amazonas, André Luiz Castilhos Campos e Rosivaldo de Souza Pereira, vão ser levados a julgamento por júri popular. Eles deverão sentar no banco do réu no dia 7 de agosto para responder à acusação de tentativa de homicídio, atentado qualificado e roubo qualificado com uso de arma de fogo contra um adolescente de 14 anos de idade, crime ocorrido em agosto de 2010, no bairro Amazonino Mendes, Zona Leste de Manaus.

O fato foi denunciado pela TV A Crítica com imagens feitas por câmeras de segurança do local que registraram os PMs atirando à queima roupa contra o adolescente.

Segundo os autos, Castilhos é acusado de ter feito três disparos contra o adolescente e Rosivaldo de ter puxado uma corrente que a vítima tinha no pescoço. O julgamento dos dois militares está previsto na segunda pauta de julgamento da 3ª Vara do Tribunal do Júri deste ano, e será presidido pelo juiz Mauro Antony. À frente da acusação está o promotor de Justiça Edinaldo Medeiros.

De acordo com o juiz, o julgamento está marcado para acontecer no plenário do Tribunal do Júri, no Fórum Henoch Reis, avenida André Araújo, bairro Sâo Francisco, Zona Sul, com início previsto para as 9h e sem horário para terminar. O caso é considerado complexo pelas autoridades por envolver um grupo de policiais militares.

De acordo com o juiz Mauro Antony, além de Rosivaldo e Castilhos, outros PMs - Wilson Henrique Ribeiro; Wesley Souza; Marcos Teixeira de Lima; Wilson Cunha e Alexandre Souza Santos; e o cabo PM, Janderson Bezerra - foram denunciados no mesmo processo.

O crime ocorreu no bairro Amazonino Mendes, Zona Leste, em 2010, mas só se tornou público um ano depois, em agosto do ano passado, com a denúncia feita pela TV A Crítica. As imagens mostram nitidamente o ato dos militares contra a vítima.

“Estamos diante de um caso considerado complexo pelo fato de os autores serem agentes públicos”, disse o promotor de Justiça Fábio Monteiro. Castilhos e Rosivaldo aparecem nas investigações como participantes diretos do crime.

Segundo consta dos autos, além de terem causado ferimentos graves no adolescente, os policiais ainda dificultaram o socorro dele. A denúncia descreve que o objetivo era demorar a fim de causar a morte do adolescente, antes que ele conseguisse chegar ao hospital.

Dois foram absolvidos na instrução
Para o promotor David Jerônimo, as provas materiais produzidas pelas investigações não deixam dúvidas do envolvimento dos policiais no crime. “As imagens falam por si. Não restam dúvidas da participação do grupo na tentativa de homicídio”, disse o promotor.

O juiz Mauro Antony informou que Janderson e Wilson Ribeiro foram absolvidos sumariamente por falta de provas. Durante o interrogatório, na instrução processual, ficou comprovado que eles não tiveram nenhuma participação na tentativa de homicídio do adolescente.

Os outros policiais eram os motoristas das viaturas e teriam ficado na direção dos veículos, a pelo menos 100 metros de distância de onde a vítima foi ferida à bala.

Julgamento
Segundo o juiz Mauro Antony, dos cinco policiais militares que continuaram como réus no processo, somente André Luiz Castilhos Campos e Rosivaldo de Souza Pereira vão a júri popular no próximo dia 7. Os demais recorreram em sentido restrito e, atualmente, estão aguardando a decisão da Justiça.