Publicidade
Manaus
Manaus

Polêmica nas redes: Os limites da liberdade na internet viram discussão em Manaus

Postagem de imagens e comentários inapropriados em grupos nas redes sociais e celulares, estão levantando discussões sobre os ‘limites’ de tais condutas 31/03/2014 às 10:41
Show 1
Comportamento das pessoas que faziam fotos no celular do acidente na Djalma Batista foi criticado nas redes sociais
Carolina Silva ---

Uma foto, um comentário ou um vídeo ganharam novas serventias na era do Facebook. Na rede social circula uma série de imagens e opiniões capazes de levantar debates ou causar polêmicas entre seus usuários.

Desde a sexta-feira passada, uma imagem divulgada no Facebook causa polêmica na Internet. A foto registrou o momento em que várias pessoas se aproximaram do local do acidente entre o micro-ônibus da linha 825 e uma caçamba na avenida Djalma Batista com as câmeras dos celulares ligadas para compartilhar as fotos nas redes sociais, entre elas o Facebook.

Muitos usuários criticaram o comportamento das pessoas que faziam fotos no celular no momento em que homens do Corpo de Bombeiros retiravam as vítimas que morreram na hora do impacto entre o micro-ônibus e a caçamba, e de sobreviventes que ainda tentavam sair do veículo.

Em suas páginas pessoais, os chamados “perfis”, usuários compartilharam a foto com sentimento de revolta pedindo para que fotos das vítimas mortas no local do acidente deixassem de ser publicadas como se fosse um “espetáculo”.

Alguns usuários pediam orações e respeito a dor dos familiares e amigos que perderam entes queridos na tragédia. A CRÍTICA conversou com alguns internautas sobre a opinião deles em relação a esse tipo de comportamento. “Não acreditava no que estava vendo. Digo em relação ao acidente e às pessoas que estavam fazendo fotos com as câmeras dos celulares buscando o melhor ângulo das pessoas mortas e feridas”, relata a universitária Ana Luísa Machado, 24, que voltava para casa quando se deparou com a cena de um dos mais trágicos acidentes no trânsito da capital.

“Vi pessoas fazendo foto da jovem grávida estendida no chão. Uma enorme falta de respeito. Não consegui entender a frieza dessas pessoas em compartilhar um momento triste como esse em uma rede social. Acho que as pessoas precisam aprender mais a usar as redes sociais”, comentou o estudante Elias Mendonça, 23, que parou no local do acidente porque alguns colegas costumam usar a mesma linha de ônibus.

O acidente também reacendeu a discussão na rede social sobre a circulação de caminhões nas ruas de Manaus e a fiscalização do sistema de transporte dos modais Executivo e Alternativo.

“Resolver o problema de mobilidade na cidade é uma realidade necessária. Aumentar as fiscalizações sobre as condições de circulação dos transportes públicos é básico. Enfim, tomemos não só esse infeliz e lamentável acontecimento como referência para ações, mas vivamos com maturidade a verdadeira necessidade de mudança!”, declarou uma leitora de A CRÍTICA.