Publicidade
Manaus
NO TARUMÃ

Polícia abre inquérito para apurar desvios na energia elétrica de flutuantes

Entre as irregularidades, a polícia identificou adulteração em medidores, ramais clandestinos e cabos subaquáticos. Proprietários foram notificados para prestar esclarecimentos sobre as irregularidades 18/08/2017 às 18:25
Show flutuante
Polícia Civil e a Eletrobrás identificaram adulteração em medidores (Foto: Divulgação)
acritica.com Manaus (AM)

A equipe de investigação da Delegacia Especializada em Combate ao Furto de Energia, Água, Gás e Serviços de Telecomunicações (DECFS), em parceira com técnicos da Eletrobras Distribuição Amazonas e peritos do Instituto de Criminalística (IC), identificou ao longo desta sexta-feira (18) irregularidades relacionadas ao abastecimento de energia em seis flutuantes, de sete situados na orla do Tarumã, zona Oeste da capital.

A ação, comandada pelo delegado Felipe Vasconcelos Dias, titular da DECFS, teve início por volta das 9h30 de hoje e aconteceu na orla do Tarumã, em uma área conhecida como “Praia Dourada”. Segundo a autoridade policial, a operação foi deflagrada com o intuito de fiscalizar o abastecimento de energia daquela região, visando a segurança dos frequentados dos estabelecimentos comerciais que funcionam no local.

“Ao longo da ação fiscalizamos sete flutuantes e identificamos irregularidades em seis deles. Foram duas situações de medidores de energia adulterados, duas situações de desvio de uma fase de medições de energia elétrica e duas situações de ramais clandestinos. Identificamos, ainda, irregularidades nos cabos subaquáticos que levam energia elétrica até os estabelecimentos, oferecendo risco aos banhistas que frequentam o local”, explicou o delegado.

Felipe Vasconcelos Dias acrescentou que após a verificação técnica e perícia criminal, as ligações clandestinas de dois flutuantes foram desfeitas e os medidores de energia foram regularizados.

Inquéritos policiais foram instaurados para apurar os delitos. Os proprietários dos quatro estabelecimentos não regularizados foram notificados a comparecer no prédio da DECFS para prestar esclarecimentos. Caso não justifiquem as irregularidades encontradas, serão indiciados pelo crime de furto de energia.