Publicidade
Manaus
Foragidos

Polícia Federal prende 'Mano Greg' e 'Celsinho', da FDN, na Colômbia

Narcotraficantes fazem parte do segundo escalão da facção FDN. 'Mano Greg' fugiu em 2015 após ser colocado em liberdade monitorada pela Justiça 31/10/2017 às 10:38 - Atualizado em 31/10/2017 às 14:57
Show fd
Mano Greg e Celsinho, após a prisão na Colômbia (Foto: Divulgação)
Joana Queiroz Manaus (AM)

Procurados pela Interpol em mais de 200 países, os narcotraficantes e integrantes da facção criminosa Família do Norte (FDN) Gregório da Graça Alves, o “Mano Greg”, e Afonso Celso Caldas, o “Celsinho”, foram presos na manhã desta segunda-feira (30) na Colômbia, de acordo com informações de fontes da Polícia Federal.

A prisão foi feita por determinação da Fiscalia General de La Nación, da Colômbia, um órgão do Poder Judiciário do País vizinho, em uma cidade próxima à Bogotá, a capital colombiana.

Os dois estavam foragidos da Justiça brasileira há mais de um ano e estavam com os seus nomes incluídos na difusão vermelha (red notice), que é o alerta internacional da Interpol, expedido por autoridades judiciais de países membros, para fins de extradição de pessoas procuradas pela justiça criminal.

Conforme o delegado da Delegacia de Repressão a Entorpecente (DRE) da Polícia Federal, Caio Avanço, os dois estavam com prisão preventiva decretada pela Justiça Federal do Amazonas, depois de terem sido alvos de investigação que resultou na operação La Muralla, que desarticulou o comando principal da FDN.

“Mano Greg” está foragido da Justiça desde o último dia 21 de março de 2015, quando cortou a tornozeleira eletrônica que vinha usando havia 15 dias. Ele teve a prisão preventiva transformada em prisão domiciliar pela desembargadora Encarnação das Graças Sampaio Salgado, atendendo a representação da defesa do preso que alegou que ele era portador do vírus HIV e hepatite, e que precisava de cuidados médicos.

Junto com o pedido, a defesa de “Mano Greg” anexou aos autos um atestado assinado pelo médico do Sistema Único de Saúde (SUS) Almero de Souza Pinto Filho dizendo que o traficante tem o vírus HIV. De acordo com os autos, na época, o estado de saúde de “Mano Greg” era considerado grave. Ele estaria usando fraldas e, por conta disso, estava sofrendo constrangimento. O narcotraficante estava a mais de dois anos preso e aguardando julgamento.

“Mano Greg” estava incluído no alto escalão do crime organizado e é sobrinho de um dos traficantes mais antigos do Amazonas, Antônio Mota da Graça, o “Curica”, conhecido internacionalmente. Ele responde a três processos na Justiça Estadual.

“Celsinho”, por sua vez, era o responsável pela logística de compra, transporte e distribuição de droga da facção. Ele negociava diretamente com os fornecedores, e de acordo com as investigações da Polícia Federal, por quatro vezes transportou grandes remessas de droga na balsa Nova Era.

Ele foi preso em fevereiro do ano passado por policiais do Departamento de Repressão ao Crime Organizado (DRCO)  com 70 quilos de cloridrato de cocaína (brilho) com 100% de pureza.

A droga estavam enterrada em uma cova coberta por uma camada de concreto em um dos cômodos de uma casa na Vila Marinho, na Zona Oeste de Manaus. O material está avaliado em aproximadamente R$ 1 milhão e pertencia à facção FDN.

No mês de maio do mesmo ano, ele fugiu do regime fechado do  Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), junto com outros  39 presos, entre eles o colombiano Nelson Gaviria Florez, o “El Diablo”, preso em 2008 com 678 kg de cocaína, e em 2014 com mais de US$ 300 mil dólares, o equivalente a R$ 800 mil reais, em uma embarcação na calha do rio Negro. “El Diablo” é considerado um dos maiores transportadores de cloridrato de cocaína da Colômbia para a região amazônica.