Publicidade
Manaus
Manaus

Polícia Militar do AM vive a crise dos coronéis

Principais auxiliares do comandante geral da PM entregaram os cargos por discordar dos critérios para promoção de oficiais 21/04/2012 às 08:48
Show 1
Almir David durante formatura nesta sexta-feira (20), sem a presença dos coroneis Hebert e José
Jornal a crítica ---

Uma crise se abriu no alto escalão da Polícia Militar. O subcomandante, coronel José Alves, e o chefe do Estado Maior, coronel Herbert Araújo, entregaram, na quinta-feira, suas funções ao comandante geral da corporação, coronel Almir David. Para completar, três membros da Comissão de Promoção de Oficial (CPO), os coronéis José Militão Rodrigues, Augusto Sérgio da Silva e Ricardo Mágno Ferreira, foram exonerados de suas funções. A decisão foi motivada por discordarem do comandante que, segundo eles, foi induzido por um grupo de tenentes-coronéis que anseia o comando da instituição, a descumprir a lei estadual de promoção de oficiais.

De acordo com a lei estadual, elas só podem acontecer mediante a análise e aprovação da CPO. De acordo com informações de oficiais que não apoiam a decisão do comandante, a ilegalidade está na forma como foi conduzido o processo de abertura de vagas para coronéis. Baseado na lei, a CPO informou ao comando que não havia vaga para a promoção de tenentes-coroneis a coronéis. Se tivesse, esta necessariamente teria que passar pela aprovação da comissão. Segundo os oficiais, Almir David nomeou o coronel Lindomar Gonçalves como relator de promoções de oficiais e este, com apoio de um outro grupo encabeçado pelo tenente-coronel Eliézio Silva, conseguiu criar sete vagas na corporação.

Candidatos
Para estas vagas estão no páreo dez tenentes-coronéis. São eles: Amadeu Soares (secretário executivo do programa Ronda no Bairro); Gilvandro Mota (Diretor do Colégio da Polícia Militar); Gilberto Gouvêa; o próprio Eliézio Silva; Romel Paulo; Marcos César; Roosevelt Conceição; Aroldo Ribeiro; Samuel Gomes e Berilo Bernardino. Sete deles serão os mais novos coronéis da Polícia Militar do Amazonas. Alves e Herbert não concordaram com a medida e tentaram impedir que a mesma fosse publicada no Boletim Geral (BG), uma espécie de diário da instituição, onde são publicadas medidas administrativas.

Foi então constituida uma nova CPO formada pelos coronéis George Catete, Lindomar Gonçalves e Aristoteles Conte. Durante a tarde de ontem, a reportagem tentou falar como o coronel Alves e este não atendeu ao telefone. Já o coronel Herbert atendeu ao telefone e disse que preferia não comentar o assunto. A informação obtida pela reportagem era de que os dois não compareceriam à solenidade de formatura que aconteceu no Comando Geral, ontem à noite, pela passagem do Dia do Tiradentes. O secretário de Segurança, Paulo Roberto Vital, disse que estava aguardando uma resposta do comandante para poder falar sobre a crise no comando da Polícia Militar. De acordo com informações da assessoria de imprensa da PM, o caso vai para as mãos do governador Omar Aziz para que ele decida sobre a promoção de oficiais.