Publicidade
Manaus
179 ANOS

Polícia Militar do Amazonas promove eventos para celebrar seus 179 anos de história

Ao longo deste mês, a Polícia Militar (PM-AM), em comemoração aos 179 anos de existência vai promover eventos que irão destacar as formas de atuação da corporação, entre eles os programas educacionais 18/04/2016 às 10:53
Show 1072471
Na EXPOPMAM, os visitantes puderam conhecer um pouco da história dos 179 anos da Polícia Militar do Amazonas (Foto: Márcio Silva)
Kelly Melo Manaus (AM)

Com 179 anos, a história da Polícia Militar do Amazonas se confunde com a história brasileira, uma vez que a sua criação está diretamente ligada a época do Brasil Colônia, e tinha a missão de representar o poder de fogo do Estado, reprimindo manifestações populares que fossem contrárias à Corte Portuguesa.

Hoje, embora a corporação continue sendo o principal aparelho repressivo do Estado, o Comandante-Geral da Polícia Militar do Amazonas (PMAM), Marcus James Frota Lobato, afirma que a ideologia de repressão tem se modificado e o que se pretende atualmente é buscar uma polícia mais comunitária e cidadã. “Antigamente quando se falava em segurança pública, se falava em proteger o Estado. Era, lamentavelmente, bater ou chicotear a população. Mas hoje isso não existe mais. Temos treinado os nossos policiais para atender a comunidade”, defende o comandante.

Embora não sejam poucos os casos em que policiais aparecem como “vilões” em circunstâncias que envolvem agressões, excesso de força, e até homicídios por motivos fúteis, na opinião do comandante-geral, esses casos são exceções. “Temos um universo de mais de 10 mil policiais e todos os dias, dois mil homens estão nas ruas cumprindo seu dever. Claro que quando um, no universo desses dois mil, erra, reflete em toda corporação. Mas são atípicos”, afirma.

Em 2015, mais de 20 policiais militares foram excluídos da instituição por desvio de conduta, conforme dados da própria PM. Nos últimos dois anos, mais de 170 foram alvos de investigações por práticas delituosas.

Sensação de insegurança

Nas ruas, o sentimento das pessoas ainda é de insegurança e em alguns casos, até de medo. “As vezes eu fico um pouco com medo porque eles são agressivos as vezes. As abordagens são constrangedoras, mas também entendo que esse é papel deles”, afirmou o vigilante Antônio Taveira, 44.

A dona de casa Hellen Sandra Balieiro, 28, reconhece o papel do policial nas comunidades, no entanto, critica a falta de policiamento nas ruas da cidade e o tom agressivo adotado por alguns PMs. “Eu penso que o trabalho da polícia é fundamental para todos nós, para a nossa segurança. Mas também acredito que eles deveriam ser treinado melhor para saber lidarem com a população. Eu já vi vários casos de policiais maltratando pessoas na rua e fiquei horrorizada”, lamentou ela.

Em 2013, uma pesquisa encomendada pelo Ministério da Justiça (MJ), colocou a PM amazonense como a menos confiável do País, com um indice de confiança de apenas 8,4% da população. Nesse estudo, apenas o Amazonas e o Pará tiveram desempenho abaixo dos 10%.

Para Frota, a pesquisa não reflete o pensamento da população hoje. “Em média, nós recebemos mais de 70 ofícios por dia solicitando a cobertura da PM em eventos públicos e privados. Temos uma alta demanda, principalmente com as nossas apreensões. Isso demonstra que o povo acredita, sim, no trabalho da instituição”, argumentou

Blog, Carlos Santiago: Sociólogo e advogado

A nossa policia é muito violenta e isso vem de uma tradição, já que ela foi criada como um aparato para atingir, maltratar, violentar negros, índios e manifestações populares que fossem contrárias a Coroa Portuguesa. E, de se certa forma, isso acontece nas periferias de hoje. E é difícil mudar essa lógica porque o próprio efetivo é selecionado de uma gama de pessoas que cresceram vendo a violência de perto e quando chegam na polícia, reproduzem o que passaram. Para esse cenário mudar, é necessário mudar o processo de seleção, qualificar a corporação, criar uma cultura de cidadania e de respeito ao estado de direito, salários mais dignos, ter mais preparo. E para isso, precisamos de governantes que sejam capazes de dar um outro sentido de defesa do cidadão e construir uma polícia mais legalista e respeitosa.

Eventos da Polícia Militar para aproximar a população

Para comemorar os 179 anos da Polícia Militar,vários eventos estão sendo realizados durante o mês para aproximar a população. Entre os que mais chamara a atenção, foi a XIX Exposição de Produtos e Serviços (EXPOPMAM), realizada em um shopping na Zona Oeste de Manaus.

Na EXPOPMAM, os visitantes puderam conhecer um pouco da história da corporação atrás dos armamentos, veículos, embarcações e até dos projetos sociais que são desenvolvidos dentro da Polícia Militar. “O principal papel da PM é o preventivo. A corporação tem um papel social e estrutura social também. Hoje, temos uma policia com comportamento preventivo, educativo e de formação de cidadania, como os projetos que desenvolvemos nas nossas escolas e nas comunidades”, disse Marcus Frota.