Publicidade
Manaus
Cotidiano,Polícia,Assalto,Arrombamento,Igreja São João Batista

Polícia prende responsáveis por ataque à igreja, na Zona Leste de Manaus

Integrantes da "Gangue da Marreta" um adolescente de 14 anos e um adulto foram encontrados em casa, pela polícia 27/03/2012 às 14:36
Show 1
Denunciado por adolescente, Leonardo não resistiu à prisão, além de entregar o micro-system roubado da igreja
Síntia Maciel e Catiane Moura Manaus

Dois integrantes da “Gangue da Marreta” foram apresentados nesta sexta-feira (23), no 4º Distrito Integrado de Polícia (4º DIP) anexo, como os responsáveis pelo arrombamento, roubo e pichação na igreja de São João Batista, localizada no bairro Colônia Antônio Aleixo, Zona Lestes de Manaus.

A polícia, de acordo com a delegada titular do 4º DIP anexo, Débora Cristina Mafra, chegou à dupla após uma denúncia anônima, dando conta do local  em que eles estavam escondidos.

Um adolescente de 14 anos de idade foi o primeiro a ser apreendido na casa dos pais, onde em contato com a família, os policiais do 4º DIP anexo, comunicaram o ocorrido, o que resultou na apreensão do jovem.

Na delegacia, o adolescente apontou Leonardo da Silva de Souza, 19, como sendo o outro integrante da gangue. Em poder dele a polícia encontrou o micro-system levado da igreja.

Enquanto Leonardo ficou preso no 4º DIP anexo, o adolescente foi encaminhado para a Delegacia Especializada em Apuração de Atos Infracionais (DEAAI), no bairro Alvorada, Zona Oeste de Manaus.

Ação
Na próxima terça-feira (27), a paróquia Nossa Senhora das Graças – a qual a igreja de São João Batista é ligada -, irá promover uma reunião a partir das 9h, na igreja alvo do ataque, entre os comunitários, para refletir entre outras coisas sobre a segurança, prevenção e formas de ajudar pessoas que se encontram em situação de marginalidade.

“As pessoas que roubam ou praticam algum outro tipo de crime, geralmente se encontram numa situação de extrema pobreza, de miséria. Devemos fazer algo pára melhorar as vidas dessas pessoas, pois antes de tudo o crime tem um aspecto social”, salienta o padre Geraldo Bendaham, pároco da comunidade.

Apesar de ter parabenizado a ação da polícia em ter elucidado caso em menos de uma semana, o padre também cobrou celeridade da polícia nos demais crimes que ocorrem na cidade, bem como mais empenho por parte da comunidade em auxiliar os trabalhos de investigação, por meio de denúncias.