Publicidade
Manaus
Manaus

Polícia retira famílias que invadiram rotatória após reintegração de posse em Manaus

Cerca de 200 homens da polícia, incluindo Batalhão de Choque, Rocam e Cavalaria, participaram do trabalho de desocupação que durou uma hora. Não houve prisões, como na manhã da última terça-feira (26). 27/02/2013 às 20:09
Show 1
A retirada foi realizada nesta quarta-feira (27)
Bruno Strahm/ Camila Pereira Manaus (AM)

Pelo menos 200 famílias que se abrigaram em uma rotatória na Zona Norte de Manaus foram retiradas do local na tarde desta quarta-feira (27). Eles ocuparam a área após a reintegração de posse realizada na invasão “28 de Outubro”, no Residencial Viver Melhor, bairro Santa Etelvina, Zona Norte de Manaus, na última terça-feira (26).

Cerca de 200 homens da polícia, incluindo Batalhão de Choque, Rocam e Cavalaria, participaram do trabalho de desocupação que durou uma hora. Não houve prisões, como na manhã da última terça-feira (26).

A polícia informou aos invasores que a deapropriação do espaço começaria logo após o fichamento dos invasores por parte da Secretaria Estadual de Habitação (Suhab) e a Secretaria Municipal de Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh), para fins de cadastramento de pessoas que necessitam de impoveis.

A famílias foram orientads a procurarem abrigo em casa de familiares e amigos pelos assistentes sociais da Suhab e Smasdh. Uma kombi fará o deslocamento. Assim como duas caminhonetas disponibilizadas para levar os pertences dos invasores até onde eles quisessem.

"Para as pessoas que não tiverem um local para levar seus pertences, o caminhão levará os mesmos para um galpão localizado no bairro Santa Etelvina", informou o presidente da comissão de Direitos Humanos da OAB, Epitáfio Almeida.

Cadastramento

A Suhab iniciou um levantamento social junto às famílias que ocupavam de forma irregular a rotatória no acesso do Residencial Viver Melhor nesta quarta feira (27). O levantamento visa pesquisar onde as famílias moravam antes da invasão, a real condição de cada família e se possuem cadastro na Suhab ou foram beneficiadas com algum programa habitacional nas esferas estadual e municipal.

Com o resultado do levantamento em mãos a Suhab vai analisar caso a caso para estudar a possibilidade de inclusão no banco de dados. A equipe de assistentes sociais atendeu aproximadamente 500 famílias, na tarde de hoje.