Publicidade
Manaus
Manaus

Policiais Federais realizam ato simbólico nesta quarta-feira (08)

De acordo com o presidente do sindicato, algumas atividades importantes para a população encontram-se paradas, como por exemplo, os policiais lotados no sistema carcerário, na segurança privada, além de responsáveis por avaliação de produtos químicos 07/08/2012 às 22:21
Show 1
Policiais Federais paralisam atividades no Amazonas e pedem a saída do diretor geral da PF
acritica.com Manaus

Na manhã desta quarta-feira (08), policiais federais que estão com as atividades paralisadas farão um ato simbólico entregando as armas em frente à Superintendência dos Policiais Federais, localizado na Avenida Domingos Jorge Velho, Dom Pedro, Zona Centro Oeste de Manaus. As mobilizações durante a paralisação são pela exigência da recomposição salarial e a reestruturação de carreira, além do pedido de saída do diretor geral. Além da entrega de armas, eles arrecadarão alimentos não perecíveis que serão doados ao Grupo de Apoio a Criança com Câncer (GAAC Amazonas)

“Ele é um homem que não valoriza o policial federal como um todo. Ele só olha pela categoria da qual faz parte, que são os delegados. Além disso é importante lembrar que nossa briga pela reestruturação de carreira dura dois anos e a salarial desde 2006”, ressaltou o presidente do Sindicato dos Policiais Federais do Amazonas (Sindpef-AM), Nelson Oliveira.

De acordo com o presidente do sindicato, algumas atividades importantes para a população encontram-se paradas, como por exemplo, os policiais lotados no sistema carcerário, na segurança privada, além de responsáveis por avaliação de produtos químicos.

Uma empresa terceirizada está responsável pela emissão de passaportes, o que acaba refletindo na entrega do documento, afetando quem precisa realizar uma viagem imediata.

Nelson afirmou que a paralisação, que iniciou nesta terça (7) segue até quinta (9), reúne agentes, escrivães e papiloscopistas da Polícia Federal. Uma nova assembleia está marcada para sexta-feira (10), quando os policiais decidirão pela greve, já que estas mobilizações são apenas pelo indicativo.