Publicidade
Manaus
Cotidiano, Urbanização, Praia da Ponta Negra, Revitalização, Segurança, Artur Neto, MPE/AM

Prefeito de Manaus anuncia medidas de segurança para a praia da Ponta Negra

Interditado desde novembro de 2012, por solicitação do MPE-AM, o principal balneário da cidade deverá contar com um efetivo de salva-vidas 24 horas, além de ser proibido o comércio de álcool, na praia  07/01/2013 às 18:18
Show 1
Máquinas trabalham na praia, que está fechada para banho desde novembro
acritica.com Manaus

A proibição da venda bebidas alcoólicas na área da orla da praia e a proibição de banhos no período noturno foram algumas das medidas de segurança anunciadas pelo prefeito Artur Neto, durante uma visita, no início da tarde desta segunda-feira (7), às obras da segunda etapa de revitalização da praia da Ponta Negra, na Zona Oeste de Manaus.

A conclusão das obras, conforme o prefeito deverá ocorrer em dezembro deste ano.

O vice-prefeito Hissa Abrahim informou que ainda nesta segunda-feira iria entrar em contato com o Ministério Público, a fim de marcar uma reunião, para tratar da interdição da praia.

Desde novembro de 2012, a Ponta Negra foi interditada aos banhistas, por recomendação do Ministério Público do Estado (MPE-AM), tendo como base o laudo técnico da Companhia de Pesquisa de Recursos Minerais (CPRM), que identificou a existência de buracos em vários trechos do balneário, na área onde foi feita a praia perene.

Reinauguração

Durante visita às obras da Ponta Negra, na Zona Oeste, na manhã desta segunda-feira, 07, o prefeito Arthur Virgílio Neto, anunciou que a segunda etapa do complexo de lazer será entregue à população em dezembro, antes do Natal.

O prefeito conversou com o proprietário da empresa responsável, Mosaico Engenharia, Jorge Sotto Mayor, e engenheiros que atuam no projeto, para ter a definição de conclusão dos trabalhos. “Esse prazo está muito bom. O que eu quero é segurança, obra bem feita, obra completa e que justifique o fato de a população de Manaus pagar empréstimo, que será pago durante muitos anos pela população de Manaus”, afirmou.

A segunda etapa das obras da Ponta Negra custará R$ 27 milhões, financiados pela Corporação Andina de Fomento (CAF). O projeto contempla dois mirantes, uma torre de observação, dois restaurantes, três quadras de vôlei, 27 mil metros quadrados de calçadão interligado com a praia, praça de artesanato, banheiro, estacionamento, e uma rotatória com chafariz semelhante à que foi construída na primeira etapa, inaugurada em dezembro de 2010.