Publicidade
Manaus
Manaus

Prefeito de Manaus contesta tombamento do Centro Histórico da cidade

De acordo com o prefeito Amazonino Mendes (PDT), a prefeitura enviará oficio para Iphan, questionando o porquê do poder Municipal não ter sido consultado sobre o processo de tombamento 27/01/2012 às 14:55
Show 1
Quem também alega falta de discussão do projeto, é o governo do Estado, que manterá ação contrária à iniciativa na justiça
JOELMA MUNIZ e LÚCIO PINHEIRO Manaus

O prefeito Amazonino Mendes (PDT) esteve reunido durante toda a manhã desta sexta-feira (27), com a cúpula de secretários da sua gestão. O encontro que marcou seu retorno à prefeitura de Manaus, após 14 dias de afastamento, serviu para o prefeito sinalizar descontentamento com o tombamento do Centro Histórico de Manaus, aprovado nessa quinta-feira (26), pelo Conselho Consultivo do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

De acordo com Amazonino, a prefeitura enviará oficio para Iphan, questionando o porquê do poder Municipal não ter sido consultado sobre o processo de tombamento.

Quem também alega falta de discussão do projeto é o governo do Estado. O secretário de Estado de Cultura, Robério Braga, afirmou que o tombamento foi precipitado. Segundo Braga o Iphan não teria funcionários suficientes e nem recursos técnicos financeiros para fazer frente ao tombamento.

O processo de tombamento do Centro Histórico de Manaus é de conhecimento público desde o dia 22 de novembro de 2010, quando o Iphan publicou no Diário Oficial da União (DOU).

Reunião

No encontro desta sexta-feira (27), o prefeito solicitou aos 24 secretários de sua administração, que mantenham os gastos de suas pastas dentro do orçamento previsto para cada uma delas.

Em coletiva à imprensa após a reunião, o prefeito ressaltou que a conversa faz parte dos trabalhos regulares da prefeitura, e que pediu entre outras coisas que seus secretários trabalhem para deixar as contas em dia para o próximo chefe do Executivo Municipal “independente de quem seja”.