Publicidade
Manaus
Manaus

Prefeito de Manaus diz que greve dos rodoviários deve ser analisada na esfera jurídica

Amazonino Mendes esteve fora durante o movimento grevista que ocorreu ontem e prejudicou cerca de 500 mil usuários do transporte coletivo convencional na capital e a comerciantes de toda a cidade 12/04/2012 às 22:23
Show 1
Amazonino Mendes retorna a Manaus após quatro dias em São Paulo
acritica.com Manaus

O prefeito Amazonino Mendes (PDT) afirmou que a paralisação no transporte coletivo ocorrida ontem em Manaus deve ser  analisada na esfera jurídica. A declaração foi dada ainda no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes - avenida Santos Dumont, Tarumã, Zona Oeste -, no nício da tarde desta quarta-feira, minutos após o retorno dele à cidade. Ele esteve fora desde a última quinta-feira.

A viagem, conforme informou a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) dias atrás, foi realizada para tratar de assuntos relacionados à Prefeitura de Manaus. Já hoje, em release distribuído à imprensa, a informação foi de que o chefe do executivo viajou para descansar.

Na avaliação de Amazonino, o movimento grevista ocorreu em decorrência de uma disputa política entre grupos em busca do poder no Sindicato dos Rodoviários. “Foi um conflito de interesses entre os sindicalistas”, afirmou para ao mesmo tempo deplorar a greve. E disse também que o caso deve ser resolvido na Justiça, uma vez que o Ministério Público do Trabalho (MPT) já anunciou que vai apurar com rigor o caso.

O prefeito desembarcou em Manaus às 12h15 vindo de São Paulo onde passou o feriado da Semana Santa. Durante o período que esteve ausente de Manaus, ele afirmou estar a par de toda a situação da cidade, principalmente em relação ao incidente protagonizado por membros afastados da diretoria do sindicato que resultou na paralisação do transporte coletivo na manhã de terça-feira.

Amazonino Mendes revelou que sua viagem a São Paulo teve como objetivo inicial descansar. “Na verdade ninguém descansa. Hoje tem Internet. Você controla, fala, orienta. Eu estava de longe vendo tudo da greve dando direções e coisa e tal”, disse. O prefeito comentou, ainda, que foi informado da greve desde o momento que foi deflagrada.

Ele também explicou que durante a viagem foi verificar alguns projetos que eventualmente poderão ser implantados pela Prefeitura de Manaus. “Foi lá que eu desenvolvi o projeto das carretas, um projeto vitorioso no Brasil inteiro”, observou.

Ao retornar a Manaus, Amazonino reassumiu o mandato exercido interinamente pelo juiz de Direito titular da 5ª. Vara Cível e de Acidentes de Trabalho, Lafayette Carneiro Vieira Júnior.