Publicidade
Manaus
Manaus

Prefeito de Manaus terá alta médica após angioplastia em SP

Previsão é que o prefeito Amazonino Mendes seja liberado do hospital Sírio-Libanês até sábado (15). Mas ficará em São Paulo por duas semanas 12/09/2012 às 08:49
Show 1
Desde o último dia 20 de agosto Amazonino Mendes se encontra internado no Hospital Sírio-Libanês
--- ---

Após ser submetido a  angioplastia para desobstruir uma artéria no coração, realizada ontem, o prefeito Amazonino Mendes (PDT) receberá alta do hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, até o fim desta semana. A previsão foi feita pelo secretário municipal de Saúde, Francisco Deodato, que acompanha o prefeito na capital paulista.

No procedimento, os médicos implantaram no vaso sanguíneo obstruído um stent, pequeno tubo metálico que alarga as paredes da artéria no local bloqueado, permitindo que o sangue circule com mais facilidade.

Segundo Deodato, a angioplastia foi realizada às 12h (horário de São Paulo) e durou, aproximadamente, uma hora. O secretário disse que o procedimento ocorreu sem complicações. “Transcorreu tudo bem e ele (Amazonino) já está no quarto se recuperando e com expectativa de alta até o final da semana”, informou o secretário.

Amazonino está na capital paulista desde o dia 20 de agosto tratando da doença no coração. No dia 27 do mesmo mês, o prefeito passou por uma cirurgia de revascularização do miocárdio (camada muscular do coração), onde teve implantadas duas pontes de artérias mamárias.

Boletim médico divulgado pelo Sírio-Libanês no dia 23 de agosto informou que um cateterismo  realizado em Amazonino mostrou “obstruções significativas” nas artérias do coração. A equipe médica que cuida do caso decidiu tratar a doença em dois momentos: uma cirurgia de ponte de artéria mamária, realizada no dia 27 de agosto, e, ontem, um angioplastia com colocação de stent.

O diabetes (excesso de açúcar no sangue), fumar cigarros, vida sedentária, obesidade e estresse são alguns dos fatores que causam a obstrução das artérias do coração. Aos 72 anos, o prefeito é diabético, hipertenso e portador de doença crônica que interfere no funcionamento dos rins. Por causa do vício do cigarro, Amazonino também tem problemas respiratórios.

Deodato já declarou para A CRÍTICA que, após  a cirurgia, o prefeito terá que mudar radicalmente o modo de vida, o que inclui deixar definitivamente de fumar. “Ele terá que abandonar o cigarro, mudar a alimentação e inserir na rotina diária atividades físicas”, disse o secretário. “O prefeito já abandonou o cigarro em alguns momentos, mas depois voltou”, contou o secretário, que é amigo de Amazonino há 14 anos.

 

Muleta psicológica

Em janeiro de 2011, Amazonino, em entrevista para A CRÍTICA, falou das tentativas sem êxito de se desvencilhar do cigarro, uma “muleta psicológica” na definição dele, à qual recorre quando é “bombardeado pelos problemas”. O prefeito disse na ocasião que ensaiou, por ordem médica, ter hábitos mais saudáveis, mas confessou não ter conseguido. As caminhadas não passaram de uma primeira tentativa. No início deste ano, o prefeito disse que precisava ir para o estaleiro senão morreria.