Publicidade
Manaus
Manaus

Prefeitura pede da Manaus Ambiental um balanço no sistema de águas da cidade após rompimentos

Segundo o presidente da Manaus Ambiental, a empresa possui um sistema de controle operacional, que monitora as tubulações da cidade e informa quando há um problema em alguma adutora 22/03/2013 às 19:16
Show 1
Até o fim da tarde 90% do fornecimento de água deve ser restabelecido e o trânsito na via liberado
Bruna Souza Manaus, AM

A Manaus Ambiental vai realizar, a partir desta sexta-feira (22), um balanço no sistema de abastecimento de água após o registro de dois rompimentos de adutoras em menos de uma semana na cidade de Manaus. O levantamento atende a uma solicitação do prefeito Artur Neto.

"O prefeito Artur Virgílio Neto solicitou um balanço das adutoras da cidade e nós temos um sistema de controle operacional, que monitora a cidade inteira de forma online então nós sabemos quando há algum problema nas adutoras. Vamos analisar ponto a ponto de todas as adutoras da cidade’’, relatou o presidente da Manaus Ambiental Alexandre Bianchini.

Rompimento

Aproximadamente 300 mil pessoas das Zonas Oeste e Norte ficaram sem água desde a tarde de quinta-feira (21) com o rompimento de uma adutora, na avenida Coronel Teixeira, bairro Ponta Negra, e a previsão é que até o fim da tarde desta sexta-feira (22) 90% da população tenha o abastecimento restabelecido e o restante até o início da manhã de sábado (23).

Seis famílias e três estabelecimentos comerciais foram atingidos e tiveram prejuízos materiais e estruturais em decorrência de uma queda de energia que originou o rompimento. Uma família foi retirada do local e alojada no Hotel Central, localizado no centro da cidade, até que funcionários da concessionária de água realizem a limpeza da residência.

Segundo o presidente da Manaus Ambiental, cerca de cinquenta homens trabalharam durante a madrugada na troca das tubulações da adutora que funcionava há pelo menos 30 anos. Equipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) realizam a limpeza dos entulhos e retirada do barro acumulado nas ruas adjacentes, sarjetas e bueiros.

Questionado sobre o tempo de vida útil das adutoras, Bianchini esclareceu que cada adutora pode durar cerca de 70 anos e que a empresa faz a manutenção por meio de um sistema que capta qualquer problema apresentados durante o funcionamento do abastecimento. Ainda segundo ele, quando houve o problema na adutora instantaneamente o sistema parou e alertou o monitoramento e isso fez com que a empresa não religasse o abastecimento quando a energia voltou, diminuindo assim os prejuízos na área.

Funcionamento

Sete mil litros de água correm por segundo na tubulação, a partir do rompimento da energia a força da água muda e causam dois efeitos, a primeira é a subpressão, onde ocorre a sucção dentro dos canos. A segunda acontece após essa água perder a força e o movimento da água gera uma força brusca que entra em atrito com a estrutura da adutora, ocasionando o rompimento.

Prejuízos

O subtenente Gilmar Paixão do Exército Brasileiro pertence a uma das famílias prejudicadas com o rompimento da adutora. Segundo ele, a esposa de 42 anos e a filha de 12 estavam na casa na hora do incidente e não conseguiram salvar os pertences da famílias, entre eles o sofá, a estante e os móveis de MDF pois foram tomados pela água e pelo barro que invadiu a casa. A máquina de lavar que estava na área de serviço da casa foi parar depois de vinte metros, no portão da residência que quebrou ao meio com a força da água.

Alexandre Bianchini informou que todos os prejuízos serão ressarcidos e ainda nesta sexta-feira uma equipe jurídica e de atendentes comerciais começam a fazer o levantamento das famílias e dos estabelecimentos comerciais como o Porão do Alemão que teve o desabamento do muro do estacionamento, a empresa Jorpam do ramo de transporte e mudanças, com a queda do muro e da parede, perdendo diversas caixas de equipamentos que estavam armazenadas no depósito e também alguns equipamentos da Pizzaria Carluccio.


Trânsito

O trânsito em uma das mãos da avenida Coronel Teixeira foi interditado, sentido centro-bairro, e deve ser restabelecido até o fim da tarde após o recapeamento da rua.

Uma equipe do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito de Manaus (Manaustrans) orienta os motoristas de veículos de pequeno porte para pegarem á esquerda da rua Manoel Nascimento e a direita na rua Agostinho Pereira, retornando para a avenida Coronel Teixeira após a Pizzaria Carluccio.

Grande rompimento

Um rompimento em uma adutora, com capacidade de 800 milímetros, localizada na rua Matos Areosa com a rua das Flores, no bairro compensa II, Zona Oeste, foi registrada no dia 15 de janeiro afetando mais de 125 famílias. Casas e carros foram atingidos pela água, entulhos foram parar dentro das residências e o asfalto da via cedeu. Três veículos foram arrastados pela ladeira da rua até parar em frente às residências. 

Na ocasião, o prefeito de Manaus esteve no local e afirmou que a prevenção era a palavra de ordem para se evitar que acidentes como estes se repetissem e que a missão da Prefeitura agora era fiscalizar o pleno funcionamento do abastecimento de águas na cidade.