Publicidade
Manaus
TRÊS MESES

Prefeitura pretende realocar os vendedores que ocupam as ruas do Centro da cidade

Proposta ainda está em fase inicial de estudos e a promessa é que o projeto inicie as atividades no prazo de 90 dias 16/08/2017 às 22:15
Show capturar
Nos horários de pico, não dá para circular na rua Barão de São Domingos (Fotos: Euzivaldo Queiroz)
Álik Menezes Manaus (AM)

A proposta da Prefeitura de Manaus de retirar vendedores ambulantes do entorno do Mercado Adolpho Lisboa e demais ruas do Centro de Manaus e levar para feiras itinerantes dos bairros da cidade ainda está em fase de projeto, mas já divide opiniões. Enquanto a pasta responsável pela retirada e lojista da área  defendem o projeto, vendedores  manifestam preocupação quanto à mudança.  

O titular da Subsecretaria Municipal de Abastecimento, Feiras  e  Mercados  (Subsempab), Fábio Albuquerque, explicou que a proposta ainda está em fase inicial de estudos e a promessa é que o projeto inicie as atividades no prazo de 90 dias. 

Segundo o secretário, equipes da Subsempab estão indo aos bairros e comunidades para ouvir dos moradores onde eles preferem a instalação de uma feira itinerante, em que rua e em que dia da semana. “Nós estamos com as equipes vendo primeiro com as comunidades que querem e qual dia da semana para podermos avançar”, disse. 

O secretário explicou que ao invés desses feirantes ocuparem ruas como Epaminondas, Rocha dos Santos e Barão de São Domingos com carros de frutas e verduras provocando desorganização e deixando rastros de sujeira, eles estarão sendo levados para bairros onde há demanda e haverá um espaço organizado e limpo. “Não vamos apenas retirá-los, vamos dar opções para eles continuarem trabalhando”. 

Fábio Albuquerque informou que serão definidos os números de vagas em cada feira, as rotas que levarão os feirantes e quantas serão. Apesar de ainda não saber quais são os bairros beneficiados, o secretário disse que os bairros serão os mais afastados da região central e que não têm feiras. “Na Zona Sul e Centro-Sul já existem feiras itinerantes. Então, nossa ideia é levar feirantes itinerantes aos bairros das zonas Leste e Norte ”, disse. 

Apreensão

 A vendedora frutas e verduras Carla Machado Costa, 32, disse que a ideia é boa, mas ela não acredita que prefeitura manterá a estrutura que promete. “Até quando eles vão ter rota, ônibus e a organização para a gente? Não vão abandonar a gente?”, questiona ela. 

O ambulante Josemar Gomes, 35, disse que no Centro o fluxo de clientes é intenso diariamente e desconfia se em feiras itinerantes haverá tantos clientes como os que ele fidelizou no Centro da cidade. 

Prazo para começar

Segundo o titular da Subsempab, Fábio Albuquerque, apesar de ainda está em fase inicial de estudos, o projeto deverá sair do papel no próximos três meses. O secretário disse que o fim do ano é um bom momento para impulsionar as vendas dos ambulantes.

Lojistas defendem a retirada

O projeto é apresentado como a solução para o antigo problema de ocupação e vendas irregulares em ruas do Centro da cidade de  Manaus, que acontece há anos sem nenhuma ação efetiva dos órgãos fiscalizadores. 

Em avenidas  como a Eduardo Ribeiro e a Epaminondas, fiscais da Subempab circulam entre os vendedores ambulantes, mas não os orientam a saírem dos locais. O fluxo de vendedores ambulantes e seus carrinhos atrapalha o trânsito de carros e pedestres e deixa um rastro de sujeira.

A retirada dos ambutantes, além devolver as ruas para os pedestres e motoristas,  também beneficiaria os lojistas do Centro da cidade, que têm a entrada de suas lojas ocupadas por vendedores, como no caso da rua Barão de São Domingos. “Será um alívio se eles forem retirados. Isso aqui é uma bagunça”, disse um lojista, que pediu para não ser identificado.