Publicidade
Manaus
Manaus

Presa quadrilha acusada de matar motorista de ex-presidente do TRE/AM

Pedro Paulo Tavares, 32, morto durante assalto a uma lavanderia teria sido baleado por reagir ao crime. O alvo do assalto seria a própria lavanderia 26/04/2012 às 18:51
Show 1
Funcionário de desembargadora do Amazonas morre vítima de assalto em Manaus
Acritica.com Manaus

Quatro dos cinco membros acusados de matar o motorista Pedro Paulo Tavares, 32, foram presos por policiais civis da Delegacia Especializada em Roubos Furtos e Deufradações (DERFD) nesta quinta-feira (26) em Manaus. Pedro Tavares era motorista da ex-presidente do TRE, Maria das Graças Figueiredo e morreu em uma lavanderia na Zona Centro-Sul quando pegava roupas da desembargadora.

Segundo informações da polícia, Aluísio Arcanjo da Silva, 26 e Soliema Cardoso Ramos, 32, foram presos na manhã desta quinta-feira (25) em sua residência, localizada no Conjunto Riacho Doce 2, bairro Cidade Nova, Zona Norte.

Eder Custódio da Silva, 29 e João Abreu Neto, 49, que também faziam parte da quadrilha, foram presos na última quarta-feira (25) por volta das 10h, em uma residência no bairro Alvorada, Zona Centro-Oeste.

Conforme o titular da delegacia, Orlando Amaral, Soliema era ex-funcionária da lavanderia e foi responsável por passar as informações para os demais membros da quadrilha. Segundo informações da polícia, Soliema sabia que no dia cinco era realizado o pagamento dos funcionários, e um funcionário da lavanderia estaria com R$ 6 mil.

Segundo os depoimentos, no momento do crime, Pedro entrou na lavanderia e ao perceber o assalto, reagiu sendo atingido com dois tiros.

Durante as investigações, funcionários da lavanderia foram ouvidos e reconheceram nas imagens de segurança Eder, o autor dos disparos. Após a identificação de Eder, a polícia chegou aos demais membros da quadrilha.

Para realizar o assalto os infratores usaram ainda uma motocicleta Yamaha 150 de cor vermelha e placa OAA – 9058 dirigido por Félix Nascimento de Lima, 27, que permanece foragido, e um carro Corolla de placa JWR-6549 que estava sendo dirigido por João Abreu.

Nos arquivos policiais consta que Eder da Silva está foragido do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) onde respondia em regime semiaberto por roubo e latrocínio. João Abreu responde por vários processos na Justiça por roubo. Aluísio é foragido do Albergado onde cumpria pena por roubo.

Félix Nascimento, foragido também do regime semiaberto onde respondia por roubo ainda está sendo procurado pela polícia.

Os acusados foram indiciados pelo crime de latrocínio e serão encaminhados a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, no Centro da cidade.