Publicidade
Manaus
Manaus

Presidente da Arsam será interrogado pela CPI da Água

A decisão foi informada nesta quarta-feira (30), pelo presidente da CPI, vereador Leonel Feitosa (PSD), durante a 11ª reunião da comissão que contou com a presença de todos os seus membros titulares. A sabatina acontecerá na próxima terça-feira (5) às 14h, no plenário da Câmara Municipal de Manaus (CMM) 30/05/2012 às 13:25
Show 1
No encontro ficou definido, ainda, que na próxima quarta-feira (6), a CPI volta a reunir para definir quem serão os convidados a depor na segunda fase de audiências
acritica.com Manaus

Os membros da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI), que investiga o contrato da prefeitura com a ex-concessionária de abastecimento de Água irão interrogar o diretor-presidente da Agência Reguladora dos Serviços Concedidos do Amazonas (Arsam), Fábio Alho, Carlos Vilas, diretor da Solvir, além de um representante do grupo Suez na próxima terça-feira (5), às 14h, no plenário da Câmara Municipal de Manaus (CMM).

A decisão foi informada nesta quarta-feira (30), pelo presidente da CPI, vereador Leonel Feitosa (PSD), durante a 11ª reunião da comissão que contou com a presença de todos os seus membros titulares. A Comissão deliberou, também, que o vereador autor do requerimento que lhe deu origem Waldemir José (PT) e o relator Marcel Alexandre (PMDB) elaborem um novo cronograma de visitação para apresentar a comissão na próxima segunda-feira (4).

No encontro ficou definido, ainda, que na próxima quarta-feira (6), a CPI volta a reunir para definir quem serão os convidados a depor na segunda fase de audiências. Feitosa falou sobre o prazo da CPI que é de 30 reuniões Ordinárias do Plenário Adriano Jorge, que passou a contabilizar no dia 28 de março e termina em 11 junho, com a prerrogativa de prorrogar para mais 15 reuniões do plenário.

Feitosa admitiu a possibilidade de prorrogar os trabalhos, a partir do dia 12 de junho e encerra seus trabalhos no dia 30. O presidente admitiu também a possibilidade de a CPI trabalhar durante o recesso parlamentar da Câmara que inicia no dia 26 de junho e termina no dia 09 de julho. O presidente da CPI, observou que os dias não úteis não são contabilizados no prazo legal de funcionamento da comissão.