Publicidade
Manaus
REGIME FECHADO

Familiares denunciam agressões físicas a presos durante revista no Compaj

Pelo menos três detentos diferentes aparecem em imagens divulgadas por familiares com marcas de agressões. Comissão de direitos humanos da OAB/AM defende caso e pede investigação junto à Seap 20/04/2018 às 19:15 - Atualizado em 20/04/2018 às 19:21
Show seap
Preso aparece com lesões nas costas em imagem de denúncia. Fotos: Divulgação
Isabella Pina Manaus (AM)

Presos do Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj) sofreram agressões físicas dentro das instalações do presídio durante processo de revista interna no último dia 12.  A denúncia foi feita por familiares de presidiários e endossada pela Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-AM) na representatividade direcionada ao Grupo Permanente de Monitoramento e Fiscalização do Sistema Carcerário (GMF).

Em imagens divulgadas pelos familiares, pelo menos três presos aparecem com graves lesões nas costas. As agressões teriam sido sofridas, também, em outras ocasiões e são denunciadas desde o início deste ano.  Ainda segundo parentes dos detentos, nos dias 18 e 19 de abril também ocorreram agressões dentro do complexo.

De acordo com o presidente da Comissão de Direitos Humanos da OAB/AM, Epitácio da Silva Almeida, denúncias são realizadas desde o mês de janeiro. Desde então há o monitoramento, mas sem resposta por parte da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) sobre os casos de agressões.

“Hoje (20) tivemos uma reunião com o desembargador (Sabino da Silva Marques) para que o caso seja investigado. Abrimos um ofício de denúncia ainda em janeiro, e ele nunca recebeu a devida apuração. As denúncias vêm desde o início do ano. Cobra-se a apuração do que aconteceu lá e do que aconteceu nos dias 18 e 19”, explica Epitácio.

Em audiência realizada na tarde de ontem, com a presença do desembargador Sabino da Silva Marques, foi oficializado o início da devida apuração do caso. A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap) deve tomar as providências e oferecer a análise de imagens internas para a investigação.

“Nós, da Ordem (OAB), repugnamos todo e qualquer ato contra a vida humana. Seja em qualquer ambiente. No presídio ou na rua. Repudiamos ainda mais o caso em que a agressão é sofrida por quem está custeado pelo Estado. Essa é a nossa preocupação”, repudiou o presidente Epitácio.

Resposta

A assessoria de comunicação da Seap informou por meio de nota que está ciente somente da denúncia que ocorreu em revista na semana passada, no dia 12 de abril, no regime fechado do Compaj.

O secretário da Seap, coronel Cleitman Coelho, esteve hoje com o desembargador Sabino Marques para prestar esclarecimentos e que todos os procedimentos apuratórios estão sendo adotados pela secretaria para esclarecimento do fato ocorrido.

Ainda de acordo com a nota, durante a revista, a secretaria realizou a movimentação de internos, mudando detentos de pavilhões do Compaj e transferências de detentos para outras unidades, obedecendo os procedimentos de segurança. A Seap esclarece que todas as revistas em unidades prisionais são realizadas pela secretaria em parceria com a Polícia Militar do Amazonas (PMAM).

Publicidade
Publicidade