Publicidade
Manaus
ESTACIONAMENTO NO CENTRO

Primeiro dia do sistema ‘Zona Azul’ passa despercebido no Centro de Manaus

Até as 11h desta quinta-feira (18), nenhum dos 45 monitores contratados para orientarem os condutores sobre o funcionamento do sistema de estacionamento rotativo foi localizado 18/01/2018 às 19:21
Show zona azul
Ao todo, a fase inicial do Zona Azul vai disponibilizar 1,5 mil vagas de estacionamento nas ruas do Centro de Manaus. Foto: Gilson Mello
Nelson Brilhante Manaus (AM)

O primeiro dia da fase experimental do “Zona Azul”, sistema lançado quarta-feira com o objetivo de estabelecer controle e rotatividade no estacionamento de veículos no Centro de Manaus, foi prejudicado pela chuva. Até as 11h desta quinta-feira (18), nenhum dos 45 monitores contratados para, nos primeiros 30 dias, orientarem os condutores sobre o funcionamento do sistema foi localizado em ação.

E, se não tem monitor (a maioria ‘flanelinhas’ contratados), tem guardador não contratado. Há 18 anos enfrentando sol, calor e chuva no Centro de Manaus, o “flanelinha” Wilson Mota, 40, confirmou a ausência da equipe na avenida Eduardo Ribeiro, exatamente no local onde ocorreu o lançamento do projeto.

“Cheguei cedo aqui e, até agora, só vi o chefe da empresa responsável (Guilherme Rocha, do Consórcio Amazônia) passando por aqui. Eu mesmo estou fazendo o serviço deles, avisando os motoristas que, daqui a um mês, o negócio vai ser diferente”, afirma Mota.

Não conseguimos contato com Guilherme Rocha, mas a Secretaria Municipal de Comunicação (Semcom) acredita que a forte chuva que castigou Manaus na manhã de hoje tenha prejudicado o trabalho.

Até o dia 17 de fevereiro, o trabalho dos monitores será apenas educativo, orientando os motoristas quanto às mudanças. A instalação dos equipamentos, principalmente dos sensores que ficarão sob o piso de cada vaga, está apenas iniciando. Enquanto isso, tudo continua do mesmo jeito, isto é, independentemente do tempo, o preço de cada vaga continua dependendo de negociação verbal entre o guardador e o motorista.

Funcionamento

Segundo a agência de comunicação responsável pela cobertura  do projeto, os condutores já podem baixar o aplicativo “Zona Azul” em seus celulares e posteriormente adquirir o cartão magnético que será usado no momento em que ocupar uma das vagas. Cada vaga do sistema é dotada de sensor, que vai detectar a hora em que o veículo estacionou.

Os sensores estarão funcionando a partir de 17 de fevereiro, quando passará a vigorar a cobrança de taxa. Monitores uniformizados e com equipamentos portáteis atuarão no controle do tempo utilizado pelos usuários. Os monitores também estarão disponíveis para a venda de créditos para uso do estacionamento e para a orientação ao usuário.

O motorista que ultrapassar o prazo máximo de permanência de três horas poderá ter o veículo autuado pelo Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização do Trânsito (Manaustrans). “Conforme o CTB, artigo 181, inciso XVII, estacionar em desacordo com a regulamentação é uma infração grave, com multa no valor de R$ 195,23, e cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação. Ainda cabe a remoção do veículo para o parqueamento da Prefeitura”, alertou Franklin Pinto, diretor-presidente do Manaustrans.

Tempo de incertezas

O “flanelinha” Paulo dos Santos Colares, 40, um dos quase 600 que atuam no Centro, apareceu hoje ao local de trabalho dando demonstração de preocupação com o futuro. “Um amigo tinha um compromisso e me alugou o táxi dele pra ‘salvar’ o dia. Como não sei se vou ser contratado, tenho que me prevenir”.

Publicidade
Publicidade