Publicidade
Manaus
Secretarias Omar

Primeiro escalão do governo Omar ainda conta com secretários da gestão de Eduardo Braga

Pastas estratégicas, como a de Educação, Saúde e Fazenda permanecem com titulares da gestão do ex-governador Eduardo Braga 24/01/2012 às 17:51
Show 1
O senador Eduardo Braga(PMDB) defende que Omar Aziz (PSD) dá continuidade ao governo do qual era o vice
Kleiton Renzo e Rosiene Carvalho Manaus

O Partido dos Trabalhadores (PT) é a sigla com maior número de cargos no primeiro escalão do Governo Omar Aziz (PSD), com cinco secretários nomeados. Na sequência, PCdoB e PMDB são os partidos com maior número de indicações, respectivamente, duas e uma secretarias. O PSD, liderado por Omar Aziz no Amazonas, não tem, oficialmente, pastas no primeiro escalão.

O Governo do Estado conta com 29 secretarias. Nelas, há nomes indicados até pela igreja Assembleia de Deus, do deputado federal Silas Câmara (PSC). Mesmo liderando a sigla que mais filiou políticos em 2011 no Amazonas, o PSD de Omar Aziz ainda não ganhou corpo na máquina administrativa. É do senador Eduardo Braga (PMDB) a maior fatia de secretários na atual gestão.

 E o ex-governador não disfarça sua influência sobre os pupilos. Há uma semana, levou dois titulares de pastas a um programa de rádio apresentado por ele. Os secretários não pouparam elogios ao ex-chefe.

As fatias

 O PT domina quatro secretarias no Governo do Amazonas; o PCdoB abarca duas pastas; e é da Assembleia de Deus o nome do titular da Ouvidoria do Estado, Zanele Rocha Teixeira. O PMDB de Braga só conta mesmo com um filiado da sigla, que é o secretário da Seduc, Gedeão Amorim.

Mas, quando a visão se volta para nomes ligados ao senador Eduardo Braga, sem intermediação de partidos, é que os números crescem: são oito secretarias. Isso sem contar que, mesmo os indicados de outras siglas, estão no Governo desde a época do senador .

Nem o governador Omar Aziz tem tantos nomes ligados diretamente a ele. Na atual gestão, com exceção das quatro secretarias extraordinárias, Omar Aziz escolheu apenas dois secretários: o da secretaria de Segurança Pública, Paulo Roberto Vital, e a da nova pasta de Direitos da Pessoa com Deficiência, Vânia Suely de Melo e Silva.

Prova de que Braga mantém domínio sobre os atuais secretários de Estado foi dada na semana passada quando o de Ciência e Tecnologia, Odenildo Sena, e o reitor da UEA, José Aldemir de Oliveira (ambos da cota do PT), rasgaram-se em elogios ao ex-governador.

Tudo num programa de rádio, apresentado por Braga, nos mesmos moldes do extinto “Fala Governador”.

O programa de rádio do senador, aliás, serviu para ele levar ao ar uma sutil crítica a uma das poucas indicações de Omar no atual secretariado. A cutucada veio quando Braga falou sobre Segurança Pública: “A aplicação dos recursos por parte do Governo Federal precisa melhorar, mas a gestão dos Estados também precisa melhorar”.

 Herança de Braga em oito secretarias

Ao contrário do Governo Federal onde o problema é o loteamento dos ministérios pelos partidos aliados, no Amazonas o mais forte não são os partidos. Aqui os nomes herdados por Omar do governo Braga falam mais alto no secretariado.

 Sem estar diretamente ligados a nenhum partido, oito secretários estão associados ao ex-governador. O chefe da Casa Civil, Raul Zaidan, é um deles. Além de ter trabalhado na mesma função no Governo Braga, é o coordenador da campanha do ex-senador há pelo menos duas eleições.

O secretário de Estado de Fazenda Ísper Abrahim também se mantém na função desde Braga. Os outros, são: Lélio Lauria (Sejus), Wílson Alecrim (Susam), Regina Fernandes do Nascimento (Seas), Robério Braga (Sec), Waldivia Alencar (Seinfra) e Nádia Ferreira (SDS).