Publicidade
Manaus
Manaus

Problemas no trânsito de Manaus: Quem será o culpado?

Para agentes, desrespeito dos motoristas é causa dos congestionamentos, mas condutores culpam a prefeitura 28/06/2012 às 07:26
Show 1
Nos horários de maior movimento, agentes de trânsito param o fluxo de veículos no complexo viário Giberto Mestrinho
Carolina Silva Manaus

Em meio aos já rotineiros congestionamentos que param parte das principais avenidas da cidade, dois protagonistas desse caos, motoristas e agentes de trânsito, têm justificativas diferentes para o problema.

Enquanto os agentes recém-formados especialistas em Gestão e Direito de Trânsito apontam o desrespeito às leis de trânsito, por parte dos condutores, como um dos principais obstáculos para as melhorias no trânsito de Manaus, os motoristas alegam que algumas das dificuldades em melhorar o tráfego na capital são criadas pelo próprio órgão gestor do trânsito.

Prova dessa falta de sintonia é o número crescente de multas e também de reclamações, por parte dos condutores e agentes. “O que a gente considera mais grave é o condutor não estar ‘habituado’ ao cumprimento da legislação, se ele não for fiscalizado continuamente”, disse Sandro Moacir, pós-graduado em Gestão e Direito de Trânsito e também presidente do Sindicato dos Agentes de Trânsito e Fiscais do Transporte de Manaus.

Para o especialista, entre as medidas que devem ser tomadas está o reforço das atividades de conscientização dos condutores que, segundo ele, chegam a se surpreender com a suspensão da Carteira Nacional de Habilitação (CNH). “São muitos os motoristas que cometem infrações e procuram o órgão de trânsito pra saber por que estão sendo punidos. Isso ocorre por causa do desconhecimento da legislação”.

Erros de planejamento
Mas, para o taxista Alberto Lins, 33, erros de planejamento do trânsito por parte dos órgãos municipais são os maiores “vilões” dos congestionamentos. “O Complexo Gilberto Mestrinho, por exemplo, foi muito mal projetado. Em vez de causar fluidez, causa retenção dos carros. Além disso, no horário de pico, colocam agentes de trânsito que reduzem o número de faixas e complicam mais ainda a situação na área”, disse o taxista Alberto Lins, 33.

Outros motoristas ouvidos por A CRÍTICA também apontam a pintura de faixas de segurança sem a instalação de sinais inteligentes para os pedestres como um dos problemas do trânsito. No ano passado, o Manaustrans chegou a pintar uma faixa de pedestres embaixo de uma passarela, na avenida Grande Circular, Zona Leste. O erro, admitido pelo órgão, causou transtornos no local e irritou muitos motoristas.

Transporte coletivo deve ser priorizado
Para o especialista Uarudi Guedes o reforço na conscientização dos motoristas é importante, mas não é a única medida a ser priorizada. Há outro problema que dificulta melhorias no trânsito da cidade: o aumento na frota de veículos.

“Também deve ser priorizado o transporte público para diminuir o uso de transporte individual. A questão dos congestionamentos no trânsito, por exemplo, está diretamente ligada ao crescimento da frota de veículos. À medida que nós aumentamos a frota, os problemas de trânsito também aumentam”, sustentou.

Para o especialista Rudani Brasil, os problemas encontrados em Manaus são comuns a todas as grandes cidades do País. 

Segundo ele, outra importante medida a ser estudada deve ser a educação do trânsito dentro das escolas. “Não adianta esperar que, na auto-escola, com 15 horas de aulas de legislação e mais as aulas de direção, se forma um excelente condutor”, disse.

Pedestres
Motoristas ouvidos por A CRÍTICA apontaram os pedestres como causadores de transtornos no trânsito. Eles apontam a instalação de cercas nas avenidas para obrigar pedestres a usar passarelas como medida que melhora a fluidez do tráfego e evita acidentes.

Excesso de velocidade causou 19 mil multas
O excesso de velocidade gerou 19.336 multas somente no primeiro semestre deste ano aos motoristas da capital. Segundo dados do Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans), o número desse tipo de infração, considerada média pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), superou o registrado no mesmo período do ano passado.

Em 2011, foram 14.197 multas aplicadas a motoristas que dirigiam com velocidade 20% acima da máxima permitida. As mais de 19 mil multas do primeiro semestre são referentes ao período entre o dia 1º de janeiro e 15 de junho. O valor da multa é de R$ 85,13 e o motorista acumula 4 pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Outras infrações que geraram mais de dez mil multas somente no primeiro semestre é o estacionamento em local proibido e avanço de sinal vermelho: 14.101 e 12.263, respectivamente.

No ano passado, as duas infrações, juntas, atingiram a marca de 13.883 ocorrências nos primeiros seis meses. Foram 9.846 e 4.037 multas, respectivamente, a motoristas que estacionaram em locais proibidos e avançaram o sinal vermelho, em 2011. Em 2012, essas infrações já somaram mais que o dobro do registrado no ano anterior.

Punições
De acordo com o CTB, estacionar em local proibido também é considerada uma infração média e o motorista tem que pagar R$ 85,13 e acumula 4 pontos na CNH.

Considerada pelo CTB como infração gravíssima, ao avançar o sinal vermelho, o motorista acumula 7 pontos na CNH e o valor da multa é mais alto: R$ 191, 54.

Mas o avanço da tecnologia também tem gerado milhares de multas aos condutores manauenses que usam o celular quando estão dirigindo. O Manaustrans aplicou 9.154 multas no primeiro semestre deste ano. Em 2011, no mesmo período, foram 2.653.

No Departamento Estadual de Trânsito (Detran/AM), dirigir sem a CNH e conduzir veículo com o licenciamento em atraso foram as principais infrações que geraram multas: 1.740 e 1.296 no período entre o dia 1º de janeiro e 31 de maio.