Publicidade
Manaus
Manaus

Procissão fluvial de São Pedro percorrerá toda orla de Manaus

Trajeto com mais de 400 embarcações incluirá Ponte do Rio Negro e Terminal Portuário do Grupo Chibatão, que recebe benção de D. Luiz  29/06/2012 às 09:16
Show 1
A expectativa é que mais de 400 embarcações participem da 63ª edição da homenagem a São Pedro
acritica.com Manaus

Pela primeira vez desde 1980, a tradicional procissão fluvial em homenagem a São Pedro que acontece na tarde da próxima sexta-feira (29), irá percorrer toda a orla de Manaus, da ponte sobre o Rio Negro, zona Oeste, até o Terminal Portuário do Grupo Chibatão, zona Sul, onde acontecerá uma parada na qual o arcebispo D. Luiz Soares Vieira abençoará as embarcações e o próprio Porto.

De acordo com a Arquidiocese de Manaus, a expectativa é que mais de 400 embarcações participem da 63ª edição da homenagem ao santo protetor dos pescadores e de todos aqueles que, de alguma forma, dependem da água para suas atividades e trabalhos diários.

A escolha do Porto do Chibatão foi feita Arquidiocese de Manaus pela importância social e econômica desenvolvida às margens do rio para todo o Estado do Amazonas. A última vez em que a procissão fluvial passou pela região foi na visita histórica do Papa João Paulo II à cidade, há 32 anos, que solicitou a inclusão da área no roteiro para conhecer o Encontro das Águas.

Para o vice-presidente do Grupo Chibatão Jean Bergson, a passagem da Procissão de São Pedro no Porto Chibatão é uma "benção". “Muito mais que a empresa em si, a benção de D. Luiz é o reconhecimento ao esforço e dedicação de quase dois mil trabalhadores diretos do Grupo Chibatão que todos os dias estão na beira do rio movimentando a economia e atuando no desenvolvimento do Amazonas e de todas as comunidades e cidades  do interior”, declarou.

A saída da procissão fluvial está programada para as 14h30, com saída da Igreja Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, pela rua Manoel Urbano, em direção ao Porto das Catraias, também no bairro de Educandos, onde foi realizada a primeira procissão organizada pelo cônego Antônio Plácido de Souza no dia 29 de junho de 1949.

Ainda segundo os organizadores, no trajeto até o Terminal Portuário do Chibatão, a comunidade cristã irá promover o concurso Barcos da Fé, que premiará as embarcações mais criativas e com as melhores ornamentações no contexto da festa.

Terrestre

Às 18h, os barcos seguem para o Porto da Panair, no bairro de Educandos, quando começa a parte terrestre que deverá reunir 60 mil fiéis para percorrer as avenidas Bento José de Lima e Inocêncio Araújo até o Centro Cultural Zulândio (curral do Boi Garanhão), onde o arcebispo celebra missa campal, seguida de arraial com comidas e músicas típicas da época junina.

A cada duas horas, a partir das 8h até o meio-dia, acontecem missas na paróquia de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro e as tradicionais bênçãos das chaves, das viúvas e dos pescadores respectivamente.