Publicidade
Manaus
Manaus

Professores fazem protesto na avenida Constantino Nery contra recentes alterações trabalhistas

Nas últimas semanas, funcionários da Seduc e da Semed tiveram reajuste salarial de 5,67% e 10%, respectivamente. A mudança não agradou parte da categoria, que foi às ruas manifestar oposição 30/05/2014 às 14:18
Show 1
Após passeata, os manifestantes se concentraram em frente ao estádio Arena da Amazônia
VINICIUS LEAL ---

Sob forte chuva na manhã desta sexta-feira (30), dezenas de professores da rede pública promoveram uma passeata pela avenida Constantino Nery, na Zona Centro-Sul de Manaus, em protesto contra as recentes alterações trabalhistas que atingiram funcionários das secretarias Estadual (Seduc) e Municipal de Educação (Semed).

Os professores iniciaram a passeata no Parque Ponte dos Bilhares, no bairro Chapada, e seguiram pela avenida Constantino Nery, no sentido Centro/bairro, em direção ao estádio Arena da Amazônia, onde se concentraram. A manifestação causou retenção de veículos na via, e agentes de trânsito estiveram no local para coordenar o fluxo de veículos.

A passeata foi coordenada pelo movimento “Educadores em Luta”, que faz oposição ao Sindicato de Trabalhadores de Educação do Amazonas (Sinteam), entidade representativa da categoria que fechou acordo com o poder público. Os professores afirmam não concordarem com as alterações feitas pelo Governo do Amazonas e pela Prefeitura de Manaus.

Os funcionários da Seduc exigem aplicação imediata do auxílio alimentação, a contratação de professores via Processo Seletivo Simplificado, auxílio transporte sem desconto, eleição para escolha de diretor das escolas e fim do assédio moral. Já os professores da Semed querem 20% de reajuste salarial, reajuste no auxílio alimentação e eleições para gestor das escolas.

Seduc

No último dia 15 de maio, deputados estaduais na Assembleia Legislativa do Estado aprovaram três mudanças para servidores da Seduc: reajuste salarial imediato de 5,67%, reajuste salarial em mais 4,33% que entrará em vigor em janeiro de 2015 e aumento do vale alimentação sem data para vigorar; além da aprovação de emenda que institui a carga de trabalho para horas de trabalho pedagógico (HTP).

Semed

Já no dia 21 de maio, os vereadores Câmara Municipal de Manaus aprovaram projeto que reajustou o salário dos professores da Semed em 10%, com ganho real de 3,85%, uma vez que a inflação para o período é de 6,15%. Outra mudança é a implantação, em 90 dias, do HTP para professores de 1º ao 5º ano do Ensino Fundamental.

Os vereadores também alteraram o sistema de renumeração, que deixou de ser subsídio e passou a ser vencimento, permitindo assim o pagamento de abono para distribuição de eventuais sobras do Fundo de Desenvolvimento da Educação Básica (Fundeb), instituição de prêmios, entre outras possibilidades.

*Colaborou a repórter Perla Soares