Publicidade
Manaus
Manaus

Projetos ‘reforçam’ investigação da Polícia Civil no Amazonas

O objetivo do núcleo é tornar mais eficiente a coleta de vestígios na cena do crime, de forma que as provas coletadas possam robustecer os inquéritos policiais 11/11/2012 às 17:11
Show 1
Josué Rocha já atuou na Delegacia de Homicídios e Sequestros e Roubos e Furtos
Joana Queiroz Manaus

A Polícia Civil já começou colocar em prática projetos considerados essenciais e até inovadores para a Segurança Pública que foram anunciados no mês passado, como a implantação da Delegacia Especializada em Crimes Cibernéticos do Amazonas e a criação do Núcleo de Preservação da Cena do Crime.

A primeira foi criada no mês de julho deste ano e já está funcionando, provisoriamente, na sede da Delegacia Geral (DG), no bairro Dom Pedro, Zona Centro-Oeste.

Já o Núcleo, segundo o delegado-geral da Polícia Civil, Josué Rocha, deverá estar funcionando até o final deste mês. “Nós estamos selecionando investigadores, peritos e delegados para trabalhar no núcleo”, disse Rocha.

Ele destacou a importância da preservação do local do crime, a fim de manter a área sem qualquer adulteração para que as informações colhidas sejam corretas, assim como do trabalho pericial que, segundo ele, é fundamental para garantir a materialidade na cena do crime, principalmente onde ocorreram mortes violentas. “Até o final de novembro, o núcleo deve entrar em funcionamento”, prometeu o delegado-geral.

Rocha disse que o objetivo do núcleo é tornar mais eficiente a coleta de vestígios na cena do crime, de forma que as provas coletadas possam robustecer os inquéritos policiais, colaborar com a elucidação dos crimes, com a condenação pela Justiça dos verdadeiros culpados e a absolvição dos que forem inocentes.

Para isso os profissionais - investigadores, peritos, delegados e médicos legistas - vão atuar juntos nos locais do crime, cada um fazendo a o seu papel. Cultura Atualmente, a preocupação do delegado-geral é com a cultura da população e, até mesmo, de alguns policiais, que não se importam em preservar a cena do crime.

A íntegra deste conteúdo está disponível na versão impressa e para assinantes.