Publicidade
Manaus
ESPERA

Promessa da Copa, Marina do Davi padece com o descaso e abandono

A Marina do Davi é o único porto público da capital onde é possível chegar a praias de potencial turístico, como a praia do Tupé e a praia da Lua. Embora exista um projeto de reforma pronto, o local reúne diversos problemas que vão desde a desordem no estacionamento até a ausência de banheiros públicos 10/05/2016 às 11:01 - Atualizado em 10/05/2016 às 20:01
Oswaldo Neto Manaus (AM)

Uma das promessas anunciadas antes da Copa do Mundo de 2014, a Marina do Davi, localizada a poucos quilômetros do Complexo Turístico da Ponta Negra, na Zona Oeste, padece com o descaso em sua estrutura. Embora exista um projeto de reforma pronto, o local reúne diversos problemas que vão desde a desordem no estacionamento até a ausência de banheiros públicos.

A Marina do Davi é o único porto público da capital onde é possível chegar a praias de potencial turístico, como a praia do Tupé e a praia da Lua. Além do turismo, o espaço é utilizado como principal ponto de embarque e desembarque para agentes de saúde, bombeiros e professores que trabalham em comunidades ribeirinhas da zona rural de Manaus.

O casal Jefferson e Silvana Nascimento veio de São Paulo com o objetivo de conhecer os passeios afastados da capital. Eles acreditam que a marina não chega a espantar os turistas, mas criticam a precariedade exposta aos visitantes. “Quem vem aqui está disposto a passar por certas situações. A limpeza e a acessibilidade deixam muito a desejar. É tudo muito confuso”, disse Silvana.

Projeto não executado

De acordo com o presidente da Cooperativa de Profissionais de Transporte Fluvial da Marina do Davi, Adelson Pereira, existe um projeto para a reforma do local, no entanto, ele nunca saiu do papel. Adelson explica que a revitalização do espaço seria executada após a obra no passeio da Ponta Negra, mas acabou sendo esquecida pelo poder público.

Segundo ele, atualmente a marina conta com 60 cooperados responsáveis por realizarem o transporte de passageiros às praias, os quais se dividem em duas equipes de 30 trabalhadores aos finais de semana. O presidente conta que o motivo da mudança é a falta de público.

“Acho que poderia aumentar sim (o público). Aqui é um ponto turístico, se tivesse mais organização, com lanchonetes organizadas, chamaria as pessoas. Tem gente que vem até a Ponta Negra e não conhece a marina, pois pensam que a cidade termina ali (no calçadão)”, declarou.

Ainda segundo o presidente, as melhorias seriam observadas além do aspecto turístico. “Eu creio que eles sabem da necessidade. A gente não pode fazer muita coisa, mas o benefício que vier pra cá não vai ser apenas para a cooperativa, e sim pra todo mundo que embarca na Marina do Davi”, declarou.

Esperando aprovação

Questionada pela reportagem, a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf) informou que existe um planejamento para reforma e revitalização da Marina do Davi, no entanto, a pasta continua aguardando aprovação do recurso da obra com a Confederação Andina de Fomento (CAF), que está avaliando os projetos da prefeitura que compõem o Programa e Desenvolvimento da Cidade de Manaus (PIMD/Manaus).

Ainda segundo a Seminf, entre as melhorias que serão executadas na obra estão: atracadouros para as embarcações comerciais, terminal rodo-hidroviário, ordenamento dos barcos e construção de diversos espaços como mirantes, quiosques, Postos de Atendimento ao Cidadão (PAC) e terminais de ônibus.

Melhorias previstas

De acordo com a assessoria de imprensa da Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), entre as melhorias que serão executadas na Marina do Davi estão: atracadouros para as embarcações comerciais, terminal rodo-hidroviário, ordenamento dos barcos e construção de diversos espaços como mirantes, quiosques, Postos de Atendimento ao Cidadão (PAC) e terminais de ônibus.