Publicidade
Manaus
Manaus

Prosamim chega na comunidade Arthur Bernardes em Manaus

Técnicos e assistentes sociais da Secretaria de Infraestrutura do Estado,  recolherão informações das famílias residentes, como o número de pessoas por casa e condição socioeconômica de cada família da comunidade 26/04/2012 às 11:22
Show 1
Moradores da comunidade Arthur Bernardes estão isolados por conta da subida do Rio Negro
Acrítica.com Manaus

O Governo do Amazonas inicia nesta quinta-feira (26), o cadastramento das famílias residentes na comunidade Arthur Bernardes, no bairro São Jorge, zona Oeste de Manaus. A medida corresponde ao projeto de projeto de saneamento e urbanização do Governo do Estado para o Igarapé da Cachoeira Grande (Prosamim).

Técnicos e assistentes sociais do órgão recolherão informações das famílias residentes, como o número de pessoas por casa e condição socioeconômica de cada família. O trabalho é feito através da Secretaria de Infraestrutura do Estado (Seinfra).

A secretaria informa, ainda, que já fez um cadastro inicial que levantou o quantitativo de imóveis que estão na comunidade Arthur Bernardes, totalizando 559 unidades habitacionais.  O processo de cadastramento necessário para o início das obras de requalificação ambiental do Igarapé da Cachoeira Grande foi iniciado em fevereiro deste ano e já incluiu a comunidade do Pico das Águas, no bairro São Geraldo, passando ao longo da área da avenida Kako Caminha, e prossegue em direção ao bairro São Jorge, subindo o igarapé.

O cadastramento é feito por etapas e, dos cerca de 1.500 imóveis existentes na área de abrangência da obra como um todo, 600 deles já estão devidamente cadastrados. Paralelamente a esse trabalho, está em andamento o levantamento topográfico da área que sofrerá a intervenção. O processo de retirada dos imóveis só será efetivado depois de finalizado o cadastramento e exclusivamente dentro da área de influência da obra, logo após a vazante do igarapé, quando estiver em estágio mais avançado o processo de desapropriação dos imóveis cadastrados.

O processo de desapropriação dos imóveis terá início ainda neste primeiro semestre, bem como as obras, tão logo haja condição de retirada das famílias e demolição dos imóveis.

A primeira etapa da obra de revitalização do Igarapé da Cachoeira Grande será executada pelo Governo do Estado por meio de convênio com a Caixa Econômica Federal. O contrato com o banco prevê cerca de R$ 78 milhões oriundo do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e R$ 26 milhões dos cofres do Estado.

Nos moldes do Prosamim, o projeto corresponde a obras de infraestrutura, saneamento e construção de habitação no trecho que vai da avenida Brasil, passando pela rua Arthur Bernardes, no São Jorge, até a avenida Torquato Tapajós. A primeira fase corresponderá à recuperação do trecho entre a avenida Brasil e o igarapé Nova Esperança, próximo à ponte do São Jorge.

Na segunda fase estão previstos mais R$ 241 milhões para o trecho, que vai até as proximidades da Arena da Amazônia, além da construção de moradias. O projeto prevê mais 1.500 unidades habitacionais para as famílias que moram às margens do igarapé.