Publicidade
Manaus
Manaus

Quadrilha é presa após assaltar a casa da família de radialista em Manaus

Patrick Mota e a família foram agredidos e jogados no chão. Um rádio foi confundido como rádio da polícia e os assaltantes pensaram em matar todos, gerando pânico nas vítimas 15/09/2012 às 12:56
Show 1
Quadrilha presa no 3° DIP, entre eles dois adolescentes e uma grávida
Bruna Souza Manaus, Am

Uma quadrilha especializada em assaltos a residência foi presa na madrugada desta sexta-feira, 14, por invadir e levar vários pertencentes da casa que pertence a irmã do radialista Patrick Mota, localizada na rua C15, bairro japim 2, zona Sul de Manaus.

Aproximadamente oito pessoas participaram do crime e cinco já foram presas: três homens e duas mulheres, sendo que uma está grávida. Fabrício dos Santos de Souza, 18, Jayane Vales de Souza, 20, Márcia de Oliveira Batista, 31, M. R. S e F.R.L.S, 16,  foram encaminhados ao 3° Distrito Integrado de Polícia (DIP).

No assalto foram levados vários objetos das vítimas entre eles, um notebook, um netbook, um tablet, um violão, uma guitarra, um aparelho de DVD, um aparelho de TV a cabo, televisores, 15 celulares e cerca de R$ 6 mil em espécie.

Os policiais militares da 3° Companhia Interativa Comunitária (Cicom) chegaram aos envolvidos rapidamente depois de ação conjunta com Ronda Ostensiva Cândido Mariano (Rocam). O primeiro envolvido que estava com o aparelho foi localizado na Rua Fábio Lucena, bairro Mauazinho, zona Leste, que entregou os outros envolvidos. A polícia ainda investiga a possibilidade de participação de pelo menos mais três pessoas, incluindo o motorista do carro Escort, utilizado na fuga dos assaltantes.

As vítimas informaram à polícia que os homens passavam pela rua quando um dos moradores colocava o carro na garagem, renderam todos e agrediram verbalmente e fisicamente. Patrick Mota e todas as vítimas ficaram o tempo todo deitados no chão. A ação durou aproximadamente 10 minutos e segundo uma das vítimas que não quis se identificar, um rádio foi encontrado e confundido como rádio da polícia.

“Quando eles encontraram o rádio, pensaram ser da polícia e um gritava que era para nos matar porque a casa era de um policial. Tivemos que mostrar os equipamentos de música para eles acreditarem que o rádio fazia parte dos objetos”, afirmou.

A polícia recuperou diversos objetos e cerca de R$ 3.600 em dinheiro, além de uma arma de fogo PT 938, marca Taurus, calibre 380 contendo cinco munições intactas e mais cinco munições de uso restrito de calibre 9 mm.

Segundo o Cabo Saraiva da 3° Cicom, todos os envolvidos responderão por formação de quadrilha e assalto a mão armada. Márcia que está grávida e na liberdade condicional por tráfico de drogas, vai responder também por porte ilegal de munição de uso restrito e um dos menores, o M.R.S por porte ilegal de arma de fogo de uso permitido.